• Matheus Mans

Resenha: 'Sílabas Ciladas' explora espaço entre as palavras

Atualizado: Mai 26


Logo de cara, no primeiro poema do livro Sílabas Ciladas, o autor Carlos Badia faz um aprofundamento no "espaço". E não no sentido óbvio, mas brincando com aquele vazio que existe entre coisas como o bem e o mal, o errado e o certo, o longe e o perto. E nas palavras e seus significados. E é nisso que se debruça a obra, direta e indiretamente, das mais variadas formas.


Com poemas tradicionais, concretos e até visuais, que brincam com o branco da página, Sílabas Ciladas explora significados, emoções e ações a partir de palavras, versos e brincadeiras narrativas gostosas de encontrar numa obra de poesia. De formato diferenciado, quase quadrado, o livro instiga o leitor a mergulhar nesse espaço de provocação. No oco das palavras.


E ainda que haja esse sentimento perdurando todo o livro, com boas tiradas gramaticais e estéticas, Sílabas Ciladas não adota um único tom para tudo. Dividida em oito partes, a obra de Badia trafega em diferentes maneiras de fazer e ser poema. Com isso, há uma dinamicidade interessante de ser absorvida e que não deixa o livro cair na mesmice ou numa única direção.

Afinal, como já dito acima, a sensação de explorar o vazio entre as palavras é apenas uma guia narrativa invisível -- e que pode ser apenas um sentimento meu, como leitor-pensante, em cima de uma obra cheia de camadas. Há vários temas que são abordados poeticamente por Badia, abstratamente ou não, e que trazem reflexões e sentimentos diversos a cada virada de página.


Há críticas ao mercado, falas sobre identidade, nostalgias, infâncias, brincadeiras, memórias. E com isso, é impossível ficar impassível ao que Badia traz e faz refletir. E aviso: não é uma leitura para ser feita em uma sentada. É poesia! É preciso absorver o que o autor quer passar, com cada uma das colocações e posicionamentos das palavras, e sentir o que cada verso tem a dizer.


Por fim, vale destacar o excelente trabalho de diagramação da Editora InVerso. As páginas de poemas concretos e gráficos são lindíssimas -- uma, em específico, com um pássaro, é deslumbrante. Chega a ser emocionante ver um livro ser feito com tanto cuidado e esmero. E é isso: com um trabalho tão sensível, vale a pena aproveitar cada página de Sílaba Cilada.

#Crítica #Resenha #Poesia #Literatura #InVerso #Livro