3 livros hispano-americanos contemporâneos que você precisa ler

30/11/2018

Os países hispano-americanos possuem uma variedade surpreendente de boa literatura. Ainda que García Marques, Cortázar e Vargas Llosa sejam os mais difundidos na região, há outros autores contemporâneos que seguem os passos de seus mestres e apresentam obras contundentes e que, muitas vezes com caráter alegórico ou metafórico, ajudam a compreender melhor as complexidades e particularidades que moldam o povo da região e suas mazelas. Ler a literatura desses autores, de certa forma, é entender e se aprofundar nas características e dificuldades da América Latina.

 

Esquina selecionou três livros hispano-americanos de autores contemporâneos indispensáveis e que, por essas características acima ressaltadas, merecem espaço na sua estante. Confira:

 

1.

 

 

 

 

 

 

 

 

Título: Formas de Voltar para Casa

Autor: Alejandro Zambra

País: Chile

Ano: 2011

Link para compra: amzn.to/2U2QD3G

 

Justificativa: Poucos autores possuem a capacidade literária do chileno Alejandro Zambra. Poeta e romancista, ele sabe brincar com as letras, mas sem perder a coesão e o sentido geral da história. Aqui, ele chega ao seu ápice ao narrar as memórias – ouvidas e vivenciadas – de um homem cuja infância se passou durante a ditadura de Augusto Pinochet, no Chile. A narrativa se desdobra em dois momentos: o passado – começo dos anos 80 –, que o protagonista tenta recuperar para, então, finalizar um livro que ele está escrevendo no presente. É forte, é contundente e, infelizmente, muito atual.

 

2.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Título: Lupita Gostava de Engomar

Autor: Laura Esquivel

País: México

Ano: 2014

Link para compra: amzn.to/2QuXQe1

 

Justificativa: Como falamos recentemente aqui no Esquina, é um livro sobre países latino-americanos que, aos poucos, perderam a conexão com suas origens -- o foco do livro de Esquivel é o México, mas serve também para o Brasil e outros vizinhos. A trama, por incrível que pareça, começa com um pé no romance policial: a policial Lupita, protagonista, se torna a única testemunha do assassinato de um político. A partir daí, seu mundo começa a dar voltas e ela, aos poucos, começa a se conectar com sentimentos fortes de seu passado. É verdadeiro, é forte e é muito necessário para os tempos atuais.

 

3.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Título: Alvo Noturno

Autor: Ricardo Piglia

País: Argentina

Ano: 2010

Link para compra: amzn.to/2U1Vwdy

 

Justificativa: Ricardo Piglia é um dos autores mais interessantes da literatura hispano-americana contemporânea. A maioria de seus livros se encaixam no gênero policial, apesar da complexidade ser bem maior do que é visto de costume em thrillers e suspenses. Em Alvo Noturno, ele deixa o policialesco de lado e cai no policial-social. ação, que se passa num povoado do pampa argentino nos anos da ditadura militar - de que ficou a herança traumática com que o país se debate até hoje -, ilumina com a agudeza característica de Piglia a organização corrompida da sociedade rural, caracterizada pela autoridade inconteste dos que mandam, pela impunidade de seus crimes e pela perversidade das relações pessoais.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Publicidade