9 filmes independentes de 2017 que você precisa assistir agora

05/11/2017

De vez em quando, grandes promoções surgem nas plataformas de video-on-demand para alegrar cinéfilos de plantão. Desta vez, o site Filmmelier --  que serve como índice de filmes no streaming -- fez uma seleção de cinquenta filmes independentes de  2017 e que já estão no NOW.  E os preços são convidativos: R$ 5,90 para filmes do segundo semestre e R$ 2,95  do primeiro.

 

Esquina, então, selecionou nove desses 50 títulos em promoção no NOW que merecem a sua atenção. E abaixo da nossa seleção, ainda é possível consultar outros destaques e que também fazem parte da promoção.  Não esqueça de deixar nos comentários quais os seus filmes independentes ou estrangeiros preferidos  deste ano e se acha que  faltou algum na seleção!

 

Só não se esqueça: a promoção é válida só até 13 de novembro. Então, não perca tempo!

 

Invasão Zumbi

Ignore o nome em português ruim. Invasão Zumbi -- ou Trem para Busan, numa tradução literal -- é um filme de terror angustiante e um dos grandes destaques do cinema em 2017. Dirigido pelo coreano Yeun Sang-Ho, o filme acompanha a história de um homem com sua filha que se vê em meio ao apocalipse zumbi enquanto viaja de trem para o interior da Coreia. Com toques de drama e ação, este horror deixa o espectador grudado na tela com um ritmo alucinante e com uma história que se torna memorável para os espectadores que embarcam na trama. Sem dúvidas, um filme que se tornou um marco para o cinema coreano e que deu uma sobrevida ao gênero após várias “bombas” neste estilo -- além disso, mostrou que, muitas vezes, o inimigo durante um apocalipse zumbi pode nem ser o morto-vivo.

 

Marguerite

Filme que também ganhou uma versão com Meryl Streep no ano passado, Marguerite é um delicado longa-metragem francês que conta a história da "pior cantora do mundo". Dona de uma grande riqueza, ela começou a cantar em pequenos eventos para se distrair mas, com o tempo e com o medo que amigos tinham de falar a verdade, passou a achar que tinha uma voz inigualável e a oportunidade de se tornar uma grande cantora de ópera. O resultado disso é este filme melancólico e que tem uma atuação sublime da ótima atriz francesa Catherine Frot.

 

O Cidadão Ilustre

Filme argentino que assume, por enquanto, o posto de melhor produção do ano. Na história, um escritor vencedor do Nobel volta para sua cidade-natal após passar décadas longe. Ali, ele é tratado como um Rei e vê sua vida passar por inúmeras mudanças e transformações. Assim, o filme vale a pena não só pela ótima premissa, como também pelo desenvolvimento de personagem, que ganha camada sobre camada a cada minuto que a história passa.

 

Paterson 

Mais um acerto na carreira do diretor Jim Jarmusch e do ator Adam Driver, o delicado filme Paterson é poesia pura. Daqueles filmes que respiram arte, encantamento e beleza em cada um de seus frames. Tudo por meio da visão de um motorista de ônibus com o nome de Paterson, que, em sua rotina monótona, escreve poemas sobre tudo que acontece ao seu redor.

 

Eu, Daniel Blake

Vencedor da Palma de Ouro em 2016, este premiado longa britânico conta a história de um senhor que é obrigado a parar de trabalhar por conta de um problema de saúde, mas se vê forçado a procurar emprego quando seu auxílio é interrompido. Na busca por trabalho, ele conhece uma mãe solteira, vivida pela atriz Hayley Squires, que também não possui condições financeiras para se manter, e eles passam a se ajudar. Além do "soco no estômago" natural que o filme causa, vale ressaltar a atuação impactante de Dave Johns e a direção precisa do experiente Ken Loach.

 

O Apartamento

Ganhador do Oscar de Melhor Filme Estrangeiro, o filme acompanha um casal de atores, Ernad (Shahab Hosseini) e Rana (Taraneh Alidoosti), que tem que mudar de apartamento por conta de uma ameaça de desabamento. Vão morar em um apartamento emprestado, onde são surpreendidos por uma grande violência. O filme concorreu a Palma de Ouro no último Festival de Cannes, onde recebeu o prêmio de Melhor Ator para Shahab Hosseini e Melhor Roteiro.

 

Demônio Neon

Talvez o mais experimental desta lista, Demônios Neon apresenta Jesse (Elle Fanning), uma aspirante a modelo que se muda para Los Angeles para tentar a sorte na carreira, mas acaba cercada por um grupo de mulheres obcecadas sua beleza que farão de tudo para conseguir o que Jesse tem. Com direção ousada de Winding Hekf, o filme é oito ou oitenta: alguns vão amar, outros vão odiar. Mas é inegável que se trata de uma produção interessante do cinema independente.

 

Faces de Uma Mulher

Faces de uma Mulher conta a história de uma mulher em quatro momentos diferentes de sua vida: na infância, adolescência, entrada da vida adulta e com a vida já formada. No elenco, Adèle Exarchopoulos, de Azul é a cor mais quente, e a inglesa Gemma Arterton, de João e Maria. Apesar de ter dividido a opinião da imprensa, o filme conta com atuações marcantes e com uma trama que surpreende pela frieza e brutalidade de seus relatos. Vale a pena conhecer o filme.

 

Melhores Amigos

Após a morte de seu avô, o reservado Jake, de 13 anos, se muda com a família para o Brooklyn, onde conhece o extrovertido Tony, de sua idade, e logo se tornam amigos inseparáveis. No entanto, o pai de Jake herdou o imóvel da loja de roupas da mãe de Tony, uma chilena solteira. Logo um sério conflito entre as duas famílias, por causa do custo do aluguel, colocará em risco a amizade dos meninos. Inocente e extremamente sensível, este é um daqueles filmes que emocionam por sua delicadeza em contar histórias que devem afetar qualquer um. E vale ressaltar a boa atuação de Greg Kinnear, que mais uma vez acerta na escolha de seus projetos.

 

Outros destaques: Além das Palavras; Belos Sonhos; Eu Não Sou Seu Negro; Stefan Zeig, Adeus Europa; Um Homem Chamado Ove; 13 Minutos; A Economia do Amor; A Jovem Rainha; Colossal; Fátima; O ídolo; Perdidos em Paris.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Publicidade