Confira quais são os 10 melhores filmes de 2017

Não é fácil fazer listas de melhores do ano. Afinal, geralmente, são só 10 selecionados e sempre fica alguma coisa de fora. Não adianta. Por isso, o Esquina decidiu usar sua própria metodologia para decidir, de maneira racional, quais são os grandes destaques de 2017. Ao invés de ir com o coração, avaliamos cinco pontos: originalidade, qualidade técnica, história, atuações e caráter mobilizador.

 

Assim, de nossa seleção inicial com cerca de 30 títulos, ficamos apenas com as maiores médias -- que estão explicadas em cada um dos filmes. Claro, muita coisa ficou de fora. Os ótimos Corra!, Mulher Maravilha e Em Ritmo de Fuga, por exemplo, acabaram saindo por pouco da lista. Outros bons filmes, também de fora, estão na lista de recomendados no final da matéria.

 

E um aviso importante: ao contrário da lista de melhores filmes do primeiro semestre, todos os indicados ao Oscar ficaram de fora. Achamos melhor priorizar longas que foram, de fato, produzidos em 2017.

 

Mas chega de enrolação! Vamos ao ranking. E não deixe de escrever seu comentário com a sua opinião.

 

10.

 

 

 

 

 

 

 

Título: Bingo -- O Rei das Manhãs

Direção: Daniel Rezende

Elenco: Vladimir Brichta, Leandra Leal, Augusto Madeira

Nota do filme: 8,6

        1. Originalidade: 9,0

        2. Qualidade Técnica: 9,0

        3. História: 9,0

        4. Atuações: 9,0

        5. Caráter Mobilizador: 7,0

 

 

Justificativa: Impossível fazer a lista de melhores do ano sem ter Bingo: O Rei das Manhãs. O filme, protagonizado por Vladimir Brichta, caiu no gosto do público ao acompanhar a vida de Arlindo Barreto, um dos intérpretes  do palhaço Bozo.  Além do talento natural do cineasta e editor Daniel Rezende, o filme brilha com um roteiro afiado e atuações marcantes. Pena que tem um ou outro exagero e alguns errinhos técnicos.  Se não fosse por isso, estaria em uma posição ainda melhor.

 

9. 

 

 

 

 

 

 

 

Título: Ao Cair da Noite

Direção: Trey Edward Shults

Elenco: Joel Edgerton, Kelvin Harrison Jr., Carmen Ejogo

Nota do filme: 8,9

        1. Originalidade: 8,5

        2. Qualidade Técnica: 9,5

        3. História: 9,0

        4. Atuações: 10,0

        5. Caráter Mobilizador: 7,5

 

 

Justificativa: Sem dúvidas, é a escolha mais polêmica deste ranking.  Afinal, grande parte do público não aprovou Ao Cair da Noite, já que esperava uma história de terror convencional. O filme, porém, é tudo menos convencional. Passado numa sociedade apocalíptica, o filme não perde tempo com convenções  e cria uma trama assustadora e com tensão psicológica. Mas o grande atrativo acaba sendo as atuações, principalmente de Joel Edgerton, e a delicadeza com que a trama é conduzida. 

 

8.

 

 

 

 

 

 

 

 

Título: Paterson

Direção: Jim Jarmusch

Elenco: Adam Driver, Golshifteh Farahani, Nellie

Nota do filme: 9,1

        1. Originalidade: 9,5

        2. Qualidade Técnica: 9,0

        3. História: 8,0

        4. Atuações: 10,0

        5. Caráter Mobilizador: 9,0

 

Justificativa: É o mais singelo da lista, que não significa, claro, que é o mais fraco. Paterson  é um delicado retrato de um motorista de ônibus que, nos seus horários livres e entre uma viagem e outra, escreve poemas sobre a vida que acontece ao seu redor, como a sua caixa de fósforos. Além da atuação sublime de Adam Driver e da genialidade da premissa de Jim Jarmusch, o filme também chama a atenção por sua mensagem final, que deve emocionar qualquer um.  Só perde alguns pontos pelo excesso de lentidão e pela resolução um tanto preguiçosa.

 

7.

 

 

 

 

 

 

 

 

Título: It, a Coisa

Direção: Andy Muschietti

Elenco: Bill Skarsgård, Finn Wolfhard, Sophia Lillis

Nota do filme: 9,1

        1. Originalidade: 10,0

        2. Qualidade Técnica: 8,5

        3. História: 9,0

        4. Atuações: 9,5

        5. Caráter Mobilizador: 8,5

 

Justificativa: Uma das sensações do ano que colocou Stephen King, novamente, nos radares das adaptações. It, a Coisa é incrível do começo ao fim. A começar pelas atuações e pela sua criatividade.  Bill Skarsgård dá um verdadeiro show como o palhaço Pennywise e o resto do elenco diverte -- principalmente o sensacional Finn Wolfhard. Pena, porém, que o filme peca pelo excesso de repetição de alguns acontecimentos e pelo subaproveitamento de alguns de seus personagens. Mas, sem dúvidas, vale o sétimo lugar na lista.

 

6.

 

 

 

 

 

 

 

Título: Lady Macbeth

Direção: William Oldroyd

Elenco: Florence Pugh, Cosmo Jarvis, Naomi Ackie

Nota do filme: 9,2

        1. Originalidade: 9,0

        2. Qualidade Técnica: 9,0

        3. História: 10,0

        4. Atuações: 8,5

        5. Caráter Mobilizador: 9,5

 

Justificativa: Tenho certeza de que Lady Macbeth será incluído nos melhores do ano apenas na lista do Esquina. Afinal, além de ter passado batido  por grande parte dos cinemas neste ano, este longa de estreia de  William Oldroyd  pode não chamar a atenção de imediato.  Porém, eu fui totalmente tragado para  dentro de  sua história cheia de reviravoltas  e momentos intensos. É a síntese do que é cinema.  Pena, porém, que a história se parece muito com outros filmes sobre traição e tenha algumas atuações irregulares no elenco de apoio -- ainda que Pugh dê um show. 

 

5. 

 

 

 

 

 

 

 

 

Título: O Cidadão Ilustre

Direção: Mariano Cohn e Gastón Duprat

Elenco: Oscar Martinez, Dady Brieva, Andrea Frigerio

Nota do filme: 9,2

        1. Originalidade: 10,0

        2. Qualidade Técnica: 8,5

        3. História: 9,0

        4. Atuações: 9,5

        5. Caráter Mobilizador: 9,0

 

Justificativa: Até o final do primeiro semestre, O Cidadão Ilustre era o melhor do ano. Com o passar do tempo, porém, foi ficando para trás, mas ainda é responsável pela quinta posição. Filme argentino sobre um escritor que volta para sua cidade-natal para se reencontrar, este longa é uma mostra de como nosso vizinho latino-americano faz cinema bem. O filme vale a pena não só pela ótima premissa, como também pelo desenvolvimento de personagem, que ganha camada sobre camada a cada minuto que a história passa. Só perde pontos pelo seu final estranho e por alguns errinhos técnicos. Mas vale a pena e merece ficar no top 5 deste ranking.

 

4.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Título: Blade Runner 2049

Direção: Dennis Villeneuve

Elenco: Ryan Gosling, Harrison Ford, Ana de Armas

Nota do filme: 9,3

        1. Originalidade: 9,5

        2. Qualidade Técnica: 10,0

        3. História: 10,0

        4. Atuações: 10,0

        5. Caráter Mobilizador: 7,0

 

Justificativa: Só não entrou no top 3 por descontos no quesito de originalidade e na falta de um caráter motivador mais presente. Porém, seria injusto se Blade Runner 2049 estivesse em uma posição abaixo da lista. Afinal, é um filmaço: a começar pela direção de Villeneuve, afiado como sempre; passando por boas atuações de Ford e Gosling. e, principalmente, por conta de seu roteiro inteligente e que conversa com a história original. Pena que fracassou nas bilheterias. Tem potencial pra clássico.

 

3. 

 

 

 

 

 

Título: Logan

Direção: James Mangold

Elenco: Hugh Jackman, Patrick Stewart, Dafne Keen

Nota do filme: 9,4

        1. Originalidade: 10,0

        2. Qualidade Técnica: 9,0

        3. História: 9,5

        4. Atuações: 9,5

        5. Caráter Mobilizador: 9,0

 

Justificativa: Um dos filmes de heróis mais corajosos dos últimos anos, mostra Wolverine em uma sociedade onde os mutantes sucumbiram. Basicamente, só restou ele e o Professor Xavier, que também está cansado e com problemas neurológicos. No entanto, no meio do caminho, aparece uma garotinha que lembra o Logan de antigamente. Apesar de longo, o filme prende o espectador, que fica desesperado para saber o que acontecerá com os mutantes. Além disso, o filme tem uma conclusão emocionante e que abre caminhos para novas histórias dos X-Men.

 

2.

 

 

 

 

 

Título: Mãe!

Direção: Darren Aronofsky

Elenco: Jennifer Lawrence, Javier Barden, Ed Harris

Nota do filme: 9,6

        1. Originalidade: 10,0

        2. Qualidade Técnica: 10,0

        3. História: 9,0

        4. Atuações: 9,0

        5. Caráter Mobilizador: 10,0

 

Justificativa: Muita gente vai torcer o nariz para a incrível colocação de  Mãe! nessa lista.  Mas, confesso, eu ainda não entendo como não gostar deste filme. Controverso, o filme de Aronofsky é um verdadeiro soco no estômago. Contando a história de uma mulher que vê sua residência ser invadida e depredada, ela precisa entender o que fazer e como viver dali pra frente. Além da ótima história, o filme funciona como uma metáfora que faz cair o queixo -- junto com a atuação arrebatadora de Jennifer Lawrence. Só não está em melhor posição por alguns pequenos exageros. 

 

1.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Título: A Ghost Story

Direção: David Lowery

Elenco: Casey Affleck, Rooney Mara

Nota do filme: 9,9

        1. Originalidade: 10,0

        2. Qualidade Técnica: 9,5

        3. História: 10,0

        4. Atuações: 10,0

        5. Caráter Mobilizador: 10,0

 

Justificativa: Confesso que não queria ver Casey Affleck no topo desta lista. Mas não tinha como A Ghost Story ficar sem o prêmio principal. O longa-metragem é um ensaio onírico e cheio de genialidade sobre a vida e a complexidade de nossa existência. Com um ritmo bem lento, mas que é justificado, A Ghost Story é daqueles filmes que ficam martelando na cabeça por dias e dias e dias, trazendo novas visões não apenas sobre o filme, mas também sobre as nossas vidas. É um filme indispensável e que, sem dúvidas, merece sua posição no topo do ranking deste ano.

 

Menções honrosas.

 

Corra!, Mulher Maravilha, Como Nossos Pais, Gabriel e a Montanha, Fragmentado, Dunkirk, Em Ritmo de Fuga, Okja, Guardiões da Galáxia Vol. 2, Vida, Armas na Mesa, A Criada, Sete Minutos Depois da Meia-Noite.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Publicidade