Crítica: 'Uma Segunda Chance Para Amar' é filme fofinho de Natal

27/11/2019

Comédias românticas parecem formar um par perfeito com o Natal. São dezenas de filmes que misturam o subgênero com a data comemorativa, como A Princesa e a PlebeiaO Príncipe do NatalRevivendo o Natal, dentre outros. Agora, chega mais um longa promovendo essa mistura: o fofinho e musical Uma Segunda Chance Para Amar. 

 

Dirigido por Paul Feig (Um Pequeno FavorCaça-Fantasmas), o filme conta a história de Kate (Emilia Clarke), uma jovem inglesa cuja vida é uma bagunça e que trabalha como elfo numa loja temática de natal o ano todo. Mas quando ela conhece Tom (Henry Golding), ela começa a ver a vida de outro jeito e a sentir um sopro de esperança.

 

Todo inspirado em músicas do talentoso George Michael, o longa-metragem tem um clima natalino típico, cheio de momentos inspiradores e uma comédia simpática -- bem longe do que Feig fez em filmes como Missão Madrinha de Casamento, por exemplo. Há sutiliza em todos os gêneros que se misturam e que criam algo realmente especial.

 

Clarke, como já tinha mostrado em Como Eu Era Antes de Você, sabe dar o tom da comédia, do romance e do Natal. Totalmente diferente do que foi visto durante anos em Game of Thrones, a atriz britânica entrega carisma e esbanja simpatia. Pena, porém, que continue a cair no caricato em alguns momentos. Ela precisa acertar a dose.

Henry Golding (Podres de Ricos), Michelle Yeoh (O Tigre e o Dragão) e Emma Thompson (Um Ato de Esperança) também complementam bem o elenco -- com destaque para esta última, que também assina o roteiro e entrega uma personagem fora do seu usual.

 

O grande acerto do filme, porém, está presente em dois aspectos. O primeiro é a trilha sonora, toda baseada em músicas de George Michael e da banda Wham!. É excelente o trabalho de recuperar e resgatar a memória do público para as músicas do cantor, morto no dia de Natal de 2016. Destaque, principalmente, pra chiclete Last Christmas.

 

O outro aspecto é uma reviravolta que acontece, perto do fim. Apesar de inverosímel e um pouco óbvia, ela é bem sacada e traz uma emoção diferente para a conclusão do longa-metragem. Pode desagradar um grande número de pessoas, é claro. Mas, no geral, explora um lado diferenciado das comédias românticas. Agrada, no geral.

 

Assim, Uma Segunda Chance Para Amar é um filme fofinho, bem natalino, e que cumpre sua missão. Há imperfeições, como os excessos de Clarke e os problemas na reviravolta -- ainda que seja um plot twist positivo. Mas assistir esse filme com a pessoa que você gosta, envolto no abraço quentinho, pode ser uma das melhores opções pro fim de ano.

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Publicidade