Do pior ao melhor, todos os filmes do universo de 'Invocação do Mal'

06/09/2018

James Wan mostrou ser uma máquina de fazer dinheiro. Sua carreira começou em 2003, quando filmou um curta que veio a inspirar Jogos Mortais -- franquia que já está em seu sexto filme. Depois disso, também iniciou Sobrenatural, uma outra saga de terror que, até hoje, recebe elogios de crítica e público, além de comandar Velozes e Furiosos 7, o melhor filme da franquia protagonizada por Vin Diesel e Jason Statham.

 

No entanto, a mina de ouro de Wan é Invocação do Mal. Contando a história dos investigadores paranormais Ed e Lorraine Warren, a franquia mostra uma série de eventos sobrenaturais inspirados em casos reais. Desde o começo da saga, em 2013, os cinemas já receberam dois longas da história principal e três spin-offs -- sendo que o terceiro, A Freira, acaba de chegar aos cinemas brasileiros. É o novo universo do horror.

 

Esquina, então, elencou todos os filmes da saga de acordo com suas qualidades, indo do pior ao melhor. E como todo ranking do site, o post será atualizado de acordo com os novos lançamentos:

 

5º: A Freira

 

Filme mais genérico e sem alma de toda o universo de Invocação do Mal. Ainda que Valak, a freira demoníaca, seja uma personagem extremamente visual e bem conceituada, toda a trama fica ao redor de clichês fracos do gênero, como os grupos que se separam, os sonhos que se tornam realidade e a mentira que parece verdade. O elenco é mediano -- só Tassia Farmiga se sobressai -- e apenas um punhado de jump scares funcionam. Isso sem falar da cena de Valak recriando a abertura do Fantástico.

 

4º: Annabelle

 

Outro spin-off que começa com o pé esquerdo. Novamente, o visual da boneca Annabelle é de arrepiar e causa medo por si só. No entanto, o diretor John R. Leonetti (de Mortal Kombat 2 Efeito Borboleta 2) cria uma trama extremamente artificial e que não consegue se desgrudar de outros filmes sobre objetos amaldiçoados. As brincadeiras com a figura da boneca, cheias de possibilidades, ficam na beirada da imaginação e não vão além. A única coisa que tira o filme da lanterna é a boneca por si só.

 

3º: Invocação do Mal 2

 

Dirigido pelo próprio James Wan, Invocação do Mal 2 brinca com o fenômeno Poltergeist e funciona muito bem. Há cenas de real terror, jump scares bem encaixados e a aparição de Valak é uma das melhores coisas da franquia. Isso sem falar do elenco, que volta a funcionar muito bem -- Patrick Wilson e Vera Farmiga são ótimos. No entanto, o final é um pouco desorganizado demais e as coisas não encaixam como deveria. Fica no terceiro lugar.

 

2º: Annabelle 2

 

Filme que tinha tudo para dar errado. Afinal, era a insistência em uma ideia que já tinha falhado no primeiro filme e produzido uma trama genérica e esquecível. No entanto, o talentoso David F. Sandberg (Quando as Luzes se Apagam) consegue dar mais vivacidade à boneca e não deixa que ela cair na comicidade, como aconteceu no filme inicial e com a freira. Dá medo mesmo! E o elenco, formado majoritariamente por crianças, funciona muito bem dentro da ideia do filme. E ponto extra para o final, que faz uma ligação inteligente e surpreendente com o outro filme da boneca amaldiçoada.

 

1º: Invocação do Mal

 

Não adianta. Invocação do Mal continua sendo o melhor filme do universo criado por James Wan. Cheio de experimentalismos e com o diretor numa inspiração animadora, o longa-metragem acerta em cheio em vários aspectos. Primeiro na ambientação do filme, que dá medo por si só. Segundo por conta de vários clichês que são revertidos, ainda que a história em si -- uma família que se muda para uma casa mal-assombrada -- seja um clichê por si só. E o que é a cena das palmas? É pra entrar na história moderna do horror.

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Publicidade