'Guardiões da Galáxia Vol. 2' tem trilha sonora cheia de significados

09/05/2017

Atenção: o texto abaixo pode conter spoilers sobre Guardiões da Galáxia Vol. 2 

 

Guardiões da Galáxia Vol. 2 é um dos poucos filmes da Marvel que possui um bom vilão. Um vilão bem desenvolvido, com motivação e intrigante.  E para isso, o roteiro acabou usando, no segundo filme da franquia de heróis, o próprio pai de Peter Quill (Chris Pratt), interpretado por Kurt Russel. Além de terem acertado em cheio nesse aspecto, existe um outro fator que chama a atenção: seu nome.

 

No novo filme da Marvel, o pai de Peter Quill se chama Ego, e essa interessante escolha não foi em vão. Na psicanálise, Freud foi o primeiro a descrever os conceitos de Ego, Id e Superego. Para que você entenda mais sobre o funcionamento do aparelho psíquico, vamos explicar os dois opostos: o Id e o Superego. 

 

Id é aquilo que é regido pelo princípio de prazer, enquanto o Superego atua como uma espécie de lei, sendo regido pelo princípio de dever. O Id representa as vontades mais instintivas, ao mesmo tempo que o Superego as controla, de maneira mais “racional”. O Ego, portanto, nada mais é que a estância que media todos os desejos do Id e todas as proibições do Superego.

 

Agora podemos nos perguntar: se essas estâncias são entrelaçadas, existe, então, a presença do Id e do Superego no filme? A resposta é sim, afinal, isso é inevitável. Porém elas são apresentadas de maneira discreta, ainda que seja por meio da característica mais poderosa do filme: a música.

 

Diferente de outros filmes inspirados em HQs, Guardiões da Galáxia marca o espectador não pela sua história ou por seu herói, mas sim pela trilha sonora. O próprio diretor, James Gunn, declarou que as músicas tocadas não são aleatórias, elas tem, de fato, um propósito, e foram selecionadas conforme a criação do filme.

 

A trilha sonora é composta por 13 músicas, sendo 12 delas clássicos dos anos de 1980, e uma (Guardians Inferno) produzida para o longa. Se o espectador observar nas entrelinhas, pode perceber que nas letras estão presentes constantes pensamentos de Peter em relação ao seu pai. Alguns aparecem como a voz do Id, que tem vontade de encontrar o pai e criar uma família de verdade, e outros como Superego, que lhe diz para ficar um pé atrás, afinal, seu pai o abandonou.

 

Então, para isso, separamos trechos que exemplificam toda essa dualidade de Peter quanto à questão paterna e mostramos que em Guardiões da Galáxia as músicas não são simples canções para dar o tom da história. São chaves para compreender ainda mais a história e a mente de suas personagens:

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Publicidade