Oficina Cultural Oswald de Andrade recebe exposição de desenhos sobre SP

11/07/2018

Lapa, Interlagos, Barra Funda, Rio Pinheiros, Luz, Perus, Ermelino Matarazzo. Esses são apenas alguns dos locais da cidade de São Paulo retratados pela artista Julia Tranchesi, que acaba de inaugurar sua primeira individual, Estudo para Paisagens em Movimento, na Oficina Cultural Oswald de Andrade. O objetivo é mostrar suas leituras urbanas da cidade a partir de transformações desses ambientes e as interpretações que se permitem.

 

"O trabalho nasceu durante a minha formação como arquiteta e urbanista na FAU-USP", explica Tranchesi ao Esquina. "Partiu de um entendimento da incompletude das formas tradicionais de leitura do território, como mapas e dados estatísticos, para dar conta da complexidade dos espaços. Desde então, a presença física nos espaços e o uso do desenho tornaram-se para mim uma forma de pesquisa e conhecimento sobre a própria cidade.

Segundo ela, todas as obras expostas -- e que tomam conta de dois andares da Oficina Cultural Oswald de Andrade -- nasceram a partir de longas caminhadas e percursos de trem. Os desenhos elaborados na cidade foram feitos em folhas de 1x1m dobradas, como uma forma de carregar nas caminhadas, sendo desdobradas ao desenhar, criando composições. Assim, fica claro, em cada uma das obras, o tom interpretativo e de transformações das paisagens, que se fundem e criam dissoluções.

 

"É interessante perceber como o desenho cria uma relação de proximidade com os visitantes", afirma a artista. "De alguma forma, as pessoas se identificam com os espaços, buscam referências, criam imagens a partir do que vêem. A exposição tinha esse intuito de retratar e repensar cenas e paisagens da metrópole. São cenas banais, não grandes cartões postais ou monumentos urbanos. Uma vida quase rural que aflora no meio da urbanidade, com a qual as pessoas se identificam e reconhecem em seu cotidiano."

Além da temática da cidade de São Paulo e do uso da técnica de carvão e grafite sobre papel, não é possível assimilar uma unidade entre as obras. Elas trafegam em tudo que a cidade tem a oferecer, mesclando elementos e finitudes de vários ambientes, locais, situações. Afinal, é impossível conseguir retratar numa só exposição toda a complexidade, repleta de meandros, particularidades e micro-cosmos, que é a cidade de São Paulo. 

 

"Longe de querer dar conta de toda a complexidade da metrópole", refuta a ideia a artista e arquiteta ao ser questionada pelo Esquina. "O intuito é se aproximar de alguns meandros, de algumas particularidades. Ser ela própria o resultado de uma reflexão sobre espaços da metrópole - alguns em particular - e estimular essa reflexão."

 

Já pensando nos resultados finais de sua exposição, Tranchesi também caminha na linha de dialogar com seu público. "Espero que este possa ser um momento de troca e reflexão sobre o trabalho que está sendo desenvolvido e sobre a metrópole de São Paulo, que está em transformação a todo momento", diz a artista. "Que possa estimular no público a busca de conhecimento sobre o espaço em que cada um vive. É também um momento de reflexão sobre meu próprio trabalho que espero que aponte novos caminhos de exploração."

 

SERVIÇO

“Estudo para Paisagens em Movimento”, da artista Julia Tranchesi

Abertura: Sábado,  30 de junho, das 11h às 17h

Período expositivo: de 30.06.2018 a 04.08.2018

 

Ateliê aberto e visitas mediadas pela a artista:

Terças, Quintas e Sextas, das 14h30 às 18h30.

 

Local: Oficina Cultural Oswald de Andrade

Bom Retiro: r. Três Rios, 363, próximo à estação Tiradentes do Metrô, tels. (11) 3222-2662 / 3221-4704. Seg. a sex., 9h/22h; sáb., 10h/18h.  www.oficinasculturais.org.br

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Publicidade