Ranking: Os 5 melhores filmes do diretor Luc Besson

30/08/2019

O francês Luc Besson é um diretor que, ao longo do tempo, soube diversificar sua atuação nos cinemas. Ainda que a ação e as protagonistas femininas ainda sejam o seu ponto mais forte, há de tudo em sua filmografia -- ficção científica, histórias juvenis, animações, comédias. É até difícil selecionar e colocar uma ordem em toda sua produção. Há uma vitalidade e um dinamismo que são raros de se ver hoje em dia.

 

Abaixo, o Esquina elencou os cinco melhores filmes de Luc Besson. Tentamos diversificar ao máximo os itens presentes na lista. Mas, é claro, sempre algumas coisas importantes acabam ficando de fora. Fale nos comentários o seu preferido! E divirta-se.

 

5. Lucy

Filme em que Luc Besson, além de apostar na tal protagonista feminina em cenas de ação eletrizantes, também fez um aprofundamento nos meandros da tecnologia. Afinal, em Lucy, acompanhamos a história de uma mulher que tem a capacidade de seu cérebro ampliada. A partir disso, ela começa a se tornar uma espécie de máquina de guerra incontrolável. Tudo bem que o final é meio bizarro -- um pendrive? sério? --, mas a ideia do filme e a competência de Besson para a ação fazem com que o longa-metragem seja digno de nota. Isso sem falar da atriz Scarlett Johansson, maravilhosa.

 

4. A Família

Aqui, Besson uniu sua clássica ação com uma inesperada comédia. Ele, ainda por cima, recheou o filme com um elenco de peso: Robert De Niro, Michelle Pfeiffer, Tommy Lee Jones. O resultado não poderia ser outro. A Família é um filme que traz uma boa homenagem aos longas de máfia, mas com uma atualização e humanização interessantes. Além disso, sobretudo, sabe como mesclar elementos de gêneros em um filme que não se torna pesado em momento algum. É o filme mais "família" de Besson dos últimos anos -- desconsiderando, claro, o terrível Valerian. Pra ver e rever sempre.

 

3. Nikita: Criada para Matar

Nikita é um primeiro filme de Besson estrelado por uma femme fatale que, depois, veio a se tornar uma característica de sua filmografia. Nele, uma assassina e viciada (Anne Parillaud) tem a sua vida poupada quando é capturada por inimigos. Afinal, acreditam que sua tendência suicida possa ser utilizada em missões de grande risco. A partir disso, então, o potencial de uma marginal é utilizado para missões especiais do Serviço de Inteligência, permitindo que Luc Besson pudesse criar cenas de ação fortes e impactantes, influenciado diretores que começavam a aparecer, como Paul Greengrass.

 

2. O Profissional

Depois do sucesso de Nikita, uma porta abriu-se para Besson em Hollywood. Assim, sua primeira grande aposta foi o certeiro O Profissional. Com uma Natalie Portman entrando na adolescência e Jean Reno inspiradíssimo, o longa-metragem acompanha a jornada de um assassino profissional que não vê sentido na vida. Assim, ele decide proteger Mathilda, uma menina de 12 anos que deseja se tornar assassina para poder vingar a morte do seu irmão. Forte e impactante, é o melhor roteiro da carreira de Besson. Ainda que, às vezes, soe piegas, há emoção, comoção e laços emocionais bem definidos.

 

1. O Quinto Elemento

Mas o grande filme de Besson, insuperável até hoje, é a ficção científica/aventura O Quinto Elemento. Nele, Korben Dallas (Bruce Willis), um motorista de táxi, precisa encontrar o quinto elemento que é capaz de salvar a Terra de uma terrível ameaça vinda de outra dimensão. E esse ser, chamado Leeloo (Milla Jovovich), sabe que precisa encontrar quatro pedras que representam os elementos Terra, Fogo, Ar e Água, para poderem salvar o planeta. Agora Dallas tentará a todo o custo salvar o planeta e proteger Leeloo. É divertido, é saboroso, é brega, é memorável, é colorido, é insano. Um filme (quase) sem erros que moldou gerações. E, é claro, influencia o cinema até hoje.

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Publicidade