Três motivos para ler 'Você Merece Um Amor Bom'

22/12/2018

Dizem que resenhas e críticas devem ser sempre na terceira pessoa. É errado se colocar dentro do texto. Afinal, se deixar de ser impessoal, vira opinião. E ponto final. Mas no caso desta resenha do livro Você Merece um Amor Bom, da escritora e palestrante Bruna Stamato, não tinha como ser diferente. Eu, editor do site, homem e jovem-adulto, definitivamente não sou o público-alvo. Longe disso: logo na sinopse do livro, a autora deixa claro que são respostas sobre o amor para o público feminino.

 

O que estou fazendo aqui, então, falando sobre tal livro? Oras, por mais que Você Merece um Amor Bom tenha esse público-alvo, não há uma barreira ao redor de suas 210 páginas. Está, como todo bom livro, pronto para ser lido, refletido e para trocar mensagens com a pessoa que o segura. E fiz isso. Abaixo, então, listei três motivos que fazem com que a leitura desta obra, editada pela Seoman, faça sentido para você -- e contando um pouco de como foi minha experiência para com o texto de Stamato, por mais que o livro não fosse referente ao meu comportamento ou meu estilo de vida.

 

1. O objetivo do livro

 

Você Merece um Amor Bom parece, inicialmente, um livro de autoajuda. Afinal, a autora pretende mostrar, a partir de elucubrações da vida, sobre como a sorte está inserida na dinâmica do amor -- e, principalmente, os mitos ao redor dessa visão sobre a vida a dois. Porém, vai muito além disso e, rapidamente, mostra que há muita discussão boa sendo ao longo de suas 210 páginas. Stamato, afinal, não fica no óbvio. É interessante notar como, dessa maneira, Você Merece um Amor Bom expande a sua mensagem. Mais do que um livro sobre encontrar um "amor verdadeiro", o texto fala sobre ciúmes, aceitação, amor próprios. Temas universais e bem analisados por Bruna Stamato.

 

2. A escrita

 

O texto de Stamato é fluído, inteligente e bem escrito. Independente de ser o público-alvo do livro ou não, é difícil não ficar envolvido pela construção narrativa de Você Merece um Amor Bom. Afinal, há um encadeamento claro de ideias e ela deixa claro para o leitor, desde a primeira página, o que esperar ao longo do livro. Ela também usa de um recurso, talvez vindo de sua experiência como palestrante, que é o uso de histórias e pequenas metáforas para ilustrar casos cotidianos. O livro fica mais leve e a mensagem de Stamato, mais identificável. Difícil não se colocar no lugar de algumas das coisas que ela conta. 

 

3. A leveza da escrita

 

Como dito lá no primeiro ponto, Você Merece um Amor Bom parece um livro de autoajuda. E pode ser, em determinada medida -- e nada contra isso, pelo contrário. Mas Stamato parece o encarar de outra forma. E isso, de certa maneira, acaba sendo refletido nas páginas do livro, que possui uma leveza interessante. Não há imposições por parte da autora -- como, por exemplo, você deve agir de tal modo, ou viver seguindo tal ensinamento. Você Merece um Amor Bom é, afinal, um livro de indicações e de relatos sobre como é o amor para todas as pessoas. E por isso, talvez, tenha feito tanto sentido para mim -- como deve fazer para todos os público. É amor, afinal. Todos sabem o que é isso.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Publicidade