• Matheus Mans

Crítica: 'Instant Hotel' é delicioso reality show da Netflix


Fica cada vez mais claro que a Netflix acerta em cheio quando o assunto são documentários e reality shows -- assunto este que desenvolvi nesta reportagem para o jornal O Estado de S. Paulo. E agora, mais um programa do estilo chega ao serviço de streaming: Instant Hotel, série de doze episódios que coloca proprietários de imóveis campeões do Airbnb para se hospedarem, por uma noite, no imóvel dos concorrentes. No final, dão uma nota para a casa e para experiência, gerando uma acirrada disputa.

Instant Hotel junta duas experiências que dão certo nas produções do gênero: observação de relações humanas, como Big Brother, Casa dos Artistas e afins; e as boas produções de "invasão de casa", como o fenômeno Queer Eye. Aliado aos acertos, está a boa produção australiana do reality, que conseguiu juntar duplas de personalidades bem diferentes, quase explosivas quando em conjunto, e que possuem casas interessantes e diversas para aluguel. Todos elementos necessários estão presentes.

Assim, mesmo com um sistema que não funciona de maneira muito honesta e que acaba privilegiando os que exibem sua casa primeiro, Instant Hotel prende o espectador. Como a personalidade dos participantes vai se revelando aos poucos e as intrigas vão surgindo de maneira quase natural, fica evidente a curiosidade de ver como serão as casas das duplas e como os outros participantes vão se comportar quando estiverem de hóspedes. Vão sabotar? Vão criar intrigas? A casa do participante arrogante é melhor?

É uma espécie de Big Brother -- no sentido do reality show e do "grande irmão" de 1984 -- que evoca emoções genuínas. É interessante, também, ver como as pessoas preparam suas casas para aluguel. Decoração, kits de boas-vindas, recepção para os hóspedes. É interessante, também, ver as atividades ao redor da casa. Como é produção australiana, a série amplia os conhecimentos sobre o País e sobre atividades possíveis para serem realizadas por lá. Acaba, por fim, também se tornando série de turismo.

Instant Hotel é uma produção aparentemente simples, com receitas já conhecidas pelo grande público, mas que funciona. É viciante, divertida, com bons participantes, casas lindíssimas, bom roteiro -- apesar do erro estratégico. É uma série para assistir aos poucos, encaixando bem em momentos de descontração. Não é feita para pensar, para refletir. É entretenimento puro, sem grandes pretensões. É algo que, sem dúvidas, a Netflix sabe fazer. A torcida é que venha uma nova temporada. A ideia é muito boa e divertida para uma única dose.

#Crítica #Série #TV #Televisão #DicasdeStreaming #RealityShow