• Matheus Mans

Crítica: Intenso, 'Nosso Planeta' mostra força da Netflix em séries documentais


Difícil não concluir a série Nosso Planeta, da Netflix, e soltar algum arquejo. Afinal, o impacto desta produção é impressionante. Bem feita, bem filmada, bem roteirizada, brilhantemente narrada por David Attenborough, esta série de oito episódios mostra a força da natureza com uma precisão que deixa as antigas séries do Discovery no chinelo. Não há economias aqui. Tudo reluz, tudo impressiona. Nada ali passa batido.

Dirigida por Bambi Blitz, a produção mergulha em diversos elementos e ambientes naturais do planeta terra para mostrar como funcionam, o impacto deles em nossas vidas, a beleza de suas constituições. Tem episódios para zonas congeladas, fundo do mar, selvas, mar costeiro, desertos e por aí vai. Uma infinidade de cores, temperaturas, voracidades. Cada um com sua beleza particular e que é ressaltada pela série original.

E isso é o que chama a atenção, no geral, em Nosso Planeta. Estamos acostumados a ver cenas de caça nas selvas, ver belas e coloridas imagens de corais no fundo do mar. Mas como aquilo se formou? Quais as particularidades daquilo, em específico, na nossa vida hoje? Tudo tem uma resposta, um paralelo a ser feito com a vida que temos, seja no Brasil, na Europa, na África, em qualquer lugar. É uma série universal, sem barreiras.

Impressionante também é a captação de imagens da produção. Muitos momentos são clichês e quem assistia National Geographic e Discovery Channel já os viu por aí -- baleias pulando da água, onças correndo atrás de cervos e por aí vai. Mas muita das coisas captadas são inéditas, raras. Impressionam, de fato. Alumas vezes, cheguei a ter dúvidas sobre a veracidade das imagens. Afinal, qualquer coisa hoje é efeito especial.

Mas não. Tudo ali é real, impressionante, vívido. Difícil, como já dito, não arfar pelo choque. É beleza demais para estar contida em apenas um planeta, um só ambiente.

E tudo ganha ainda mais força, e credibilidade, com a voz do nonagenário David Attenborough (Planeta Terra, Planeta Gelado). Um dos principais nomes do ambientalismo e da ecologia no mundo, é um passeio acompanhar sua voz pelas imagens que se desnudam na tela. Com forte sotaque britânico, ele ajuda a dar mais cor ao que o planeta nos apresenta na tela da Netflix. Difícil conter um arrepio aqui e ali.

Dessa maneira, Nosso Planeta prova, novamente, como a Netflix sabe fazer séries documentais como ninguém -- seja de crimes, de coisas bizarras, de momentos curiosos. E, agora, da natureza, do mundo, das belezas terrenas. É uma produção, sem dúvidas, que evoca um tipo de arte que impressiona, alegra, acalenta. Série obrigatória para quem quer viajar sem sair do sofá. Basta ligar a tevê e esquecer do mundo. Ou não.

#Série #Netflix #Crítica #Televisão #DicasdeStreaming