• Matheus Mans

Esqueça ‘HIMYM’: a grande perda na Netflix é ‘Modern Family’


Nas últimas semanas, a internet foi à loucura com a saída da Netflix de séries da Fox, como American Horror Story e How I Met Your Mother. Todas populares e que, de fato, possuem qualidades que a deixam marcadas na mente de quem as vê. No entanto, pouca atenção foi destinada à Modern Family, série que também está prestes a sair da plataforma, mas que recebe pouca atenção no Brasil.

Para quem não conhece a série, uma rápida introdução: ela mostra a rotina de uma família norte-americana. No topo da pirâmide familiar, está Jay Pritchett (Ed O’Neill), um homem de meia-idade separado e que se casa com uma mulher muito mais nova, a colombiana Gloria (Sofía Vergara), que vem acompanhada do filho, o sempre simpático e cavalheiro Manny (Rico Rodriguez).

Enquanto isso, a trama ainda mostra a vida do filho gay de Jay, o advogado Mitchell (Jesse Tyler Ferguson), e seu marido, o dramático Cam (Eric Stonestreet); e a filha Claire (Julie Bowen), casado com o atrapalhado Phil (o incrível Ty Burrell) e mãe de Alex (Ariel Winter), a filha do meio; Luke (Nolan Gould), o atrapalhado e divertido caçula; e Haley (Sarah Hyland), a primogênita.

Com esta estrutura, a trama se desenvolve de maneira natural e bem estruturada, tecendo situações comuns, até banais, mas que não caem no lugar-comum que outras séries sobre famílias tendem a cair -- como The Fosters ou, até mesmo, Full House. Afinal, ao invés de abordar o óbvio, o roteiro da série se aproveita de todas personagens, criando situações e momentos inusitados a partir da comédia.

E como uma boa sitcom que é, a produção da Fox não tem grandes viradas de trama ou mudanças bruscas de roteiro. Abusando de situações extremamente engraçadas -- como a clássica frase de Cam sobre Meryl Streep ou o humor infantil de Phil, com suas olhadas desesperadas para a câmera -- a série mantém o ritmo, deixando qualquer mudança na história para o começo ou para o final.

Mesmo sem mudanças, porém, Modern Family não cai no marasmo. Além da inventividade do roteiro, o elenco ajuda a dar força na trama. A química entre Ed O’Neill e Sofía Vergara salta da tela, fazendo com que qualquer momento entre eles faça o espectador se se divertir. O mesmo vale para Stonestreet e Ferguson, ainda que este último sirva como escada para as piadas da personagem Cameron.

O grande destaque, porém, está nas mãos de Ty Burrell. Com um humor leve e que deixa qualquer um fascinado, o ator faz maravilhas com a personagem Phil -- um homem simples, sem grandes ambições, e que enfrenta a vida com bom humor. Ele ainda é engrandecido pela atuação de Julie Bowen, que faz um Claire racional, pragmática e que reforça toda a personalidade de Phil.

Com todos estes ingredientes, Modern Family é um dos melhores seriados da atualidade -- e que está em sua oitava temporada nos Estados Unidos e renovado até a décima. Com um humor simples, ele deixa qualquer um sorrindo ao final de cada episódio, seja pela ingenuidade de Phil, pela graça de Glória ou pelo humor afiado de Cam. Uma pena que esteja saindo da Netflix e, mais triste ainda, que não seja tão conhecida no Brasil. Merecia muito mais atenção.