• Matheus Mans

5 melhores filmes do ator e diretor Selton Mello


Não há questionamentos quando afirmam que Selton Mello é um dos principais nomes do cinema brasileiro atualmente. É indiscutível. E quem discute, com certeza não assistiu O Cheiro do Ralo, Auto da Compadecida e Lavoura Arcaica, nos quais ele atuou, ou ainda Feliz Natal e O Palhaço, filmes que ele dirigiu. São todos filmes marcantes e que deixaram uma marca no cinema brasileiro.

Agora, com a chegada do filme O Filme da Minha Vida, o Esquina organizou um ranking, com os cinco melhores filmes no currículo de Selton Mello -- seja como ator ou diretor. Para isso, levamos em consideração aspectos técnicos das obras analisadas e influência no cinema. E se você tiver sugestões ou quiser mostrar qual o seu ranking para a carreira de Selton, deixe no comentários!

5. Lisbela e o Prisioneiro. Filme com a mesma vibe de O Auto da Compadecida, Lisbela e o Prisioneiro conta a história de Lisbela (Débora Falabella), uma jovem de casamento marcado e que se apaixona por Leléu (Selton Mello), um viajante vigarista. Além de ser muito divertido, o filme encanta pela linguagem simples e por cenas que ficam marcadas -- além, é claro, da trilha sonora inesquecível.

4. O Filme da Minha Vida. O novo filme dirigido por Selton Mello não é tão bom quanto O Palhaço, mas emociona em igual medida. A história é sobre um rapaz que vê sua vida em meio a um furacão: o pai sumiu no mundo, a mãe não consegue mais sentir felicidade e a vida amorosa está uma bagunça. No meio tempo, então, ele tenta entender o que está acontecendo e sai em busca de sua identidade. Além de delicado, o filme é sutil em sua mensagem -- e, como disse Selton Mello em coletiva de imprensa, a história é um bálsamo para os olhos no atual momento político.

3. Lavoura Arcaica. Um dos mais polêmicos filmes de Selton Mello, Lavoura Arcaica conta a história de um rapaz (Mello) que sai de casa por se sentir sufocado pelos seus pais. Anos depois, porém, ele volta para casa e se apaixona pela sua bela irmã (sim, acredite). Além da direção precisa de Luiz Fernando Carvalho (Hoje é dia de Maria), o filme conta com uma linguagem poética que enche os olhos de quem o assistem, fazendo com que toda a trama do filme -- densa e muito pesada -- fique diluída aos olhos dos espectadores, enchendo-os de poesia visual. Pena que tem ritmo arrastado demais.

2. O Palhaço. Segundo filme dirigido por Selton Mello, acompanha a história de um palhaço que acredita ter perdido a graça. Com esta premissa, o diretor -- e também protagonista -- tece uma belíssima história sobre a busca por compreensão interior, criando um conto de fadas moderno e ambiente no interior do Brasil. Além disso, destaque para a sensibilidade de Selton ao resgatar alguns nomes ligados ao teatro e à comédia do Brasil, como Moacyr Franco e Jorge Loredo.

1. Auto da Compadecida. Clássico absoluto do cinema nacional e adaptado de uma peça de Ariano Suassuna, O Auto da Compadecida revelou Selton para o grande público e o pôs no auge de sua carreira. No filme, o ator interpreta Chicó, um homem simples do sertão que finge estar morto num ataque de cangaceiros -- e que acaba gerando uma história mística e religiosa. No filme, Mello comprova sua veia como comediante e imortaliza um dos maiores personagens do teatro brasileiro, além de se destacar num elenco com Marco Nanini, Lima Duarte, Denise Fraga, Mateus Nachtergaele, Fernanda Montenegro, Paulo Fagundes e Rogério Cardoso. Não era tarefa fácil.

#Ranking #Cinema