• Matheus Mans

5 músicas para conhecer o compositor Noel Rosa


Noel Rosa viveu apenas 27 anos. No entanto, se pararmos para ver seu legado, parece que foi muito mais. Este carioca da Vila Isabel foi um dos responsáveis por juntar o morro com a cidade e ajudou a dar um novo formato ao samba. Hoje, oitenta anos depois de sua morte prematura, os sambas do carioca ainda perduram e, dificilmente, você não conhece algum deles.

O Esquina, então, resolveu mergulhar na extensa obra do sambista para selecionar cinco músicas indispensáveis para quem quer conhecer um pouco mais do belo trabalho de Noel Rosa. Selecionamos músicas de diferentes tipos, dentro da proposta do sambista, para que todos os gostos musicais sejam atendidos. E se você sentir falta de uma música, deixe nos comentários!

Tarzan, o filho do alfaiate

Junto com Gago Apaixonado, é a canção mais alegre e divertida de Noel. Aqui, ele faz uma brincadeira com seu físico mirrado e a sua palidez com versos como “passo o ano inteiro sem ver um raio de sol” ou “a minha força bruta reside em um clássico cabide, já cansado de sofrer”. É um samba cadenciado, gostoso de ouvir e que ficou ainda melhor na versão de Djavan.

Último Desejo

Enquanto Tarzan, o Filho do Alfaiate é um samba divertido e feito para passar o tempo, a belíssima Último Desejo é um tapa na cara. Ela foi composta nos últimos dias de Noel e foi inteiramente pensada em uma paixão não correspondida -- “Nunca mais quero o seu beijo, mas meu último desejo você não pode negar.” Bonito, não é mesmo? E com vocês, a linda versão de Maria Bethânia.

Com Que Roupa?

Foi um dos primeiros grandes sucessos de Noel Rosa e se tornou um grande hit em todo o País, como um marchinha de Carnaval. Os versos simples, mas uma melodia interessante e com um leve rebuscamento, dão o tom dessa que é, talvez, a música mais conhecida do compositor da Vila. Acima, uma versão curiosa da canção com a inusitada dupla Roberto Carlos e Zeca Pagodinho.

Fita Amarela

Já vimos o Noel engraçado, o Noel melancólico e o Noel das marchinhas. Agora é a vez do Noel dos grandes sambas. Fita Amarela é uma daquelas composições que nascem com o “pedigree” de grande samba, que fica marcado em nossa memória e que deixa sua marca no samba nacional. “Quando eu morrer, não quero choro nem vela, quero uma fita amarela gravada com o nome dela”.

Feitiço da Vila

O samba Feitiço da Vila foi a última resposta de Noel ao “inimigo” Wilson Baptista, músico e compositor com quem o poeta da Vila rivalizou durante alguns anos. No entanto, mais do que uma resposta às provocações de Baptista, Feitiço da Vila serviu para imortalizar este bairro do Rio de Janeiro com uma letra belíssima e uma melodia que fica em nossas mentes.

#5músicasparaconhecer #NoelRosa #Música