Buscar
  • Matheus Mans

Aos 60 anos, Maurício de Sousa Produções se universaliza


Aos 83 anos, Maurício de Sousa é um senhor pequeno, de gestos calmos e com ânsia de trabalho. Workaholic, nos termos modernos e universais. Não é à toa que, após a exibição de um documentário sobre ele produzido pelo National Geographic, Maurício disse algumas palavras e, ao final, já agradeceu o público presente e foi se levantando para ir embora. "Calma, Maurício, vai ter coletiva de imprensa com os jornalistas agora", alertou um animado Fábio Porchat, também presente na exibição e coletiva, por ser o entrevistador do filme sobre o cartunista. "Jornalista? Xi, vamos lá", responde Maurício.

Com sala de cinema lotada, e com quase todos os nove filhos do cartunista presente, o tom do evento foi de futuro, projetos, planos. Afinal, no documentário sobre o cartunista, que é um episódio da série Bio, foi dito muito sobre origens, vida pregressa, primeiros pilares. Mas o que vai ser feito daqui pra frente com a Maurício de Sousa Produções? E os novos projetos? "Tem muita coisa vinda por aí. Nós, como criativos, temos que tirar um coelho da cartola por dia", disse o octogenário ao público presente em São Paulo. "A gente não pode deixar o legado da MSP pra trás. São muitas possibilidades para criar."

Atualmente, a Maurício de Sousa Produções é dona de 468 personagens -- alguns deles, confessa Maurício, ele nem se lembrava. Com tantas possibilidades narrativas, já há um sem fim de produtos por aí. Há alimentos (como o molho de tomate com o Jotalhão), graphic novels, séries de animação no YouTube para crianças bem pequenas, série adulta para a HBO sobre o Astronauta -- algumas delas falamos aqui no Esquina em 2018, quando destacamos a presença da MSP na CCXP e o seu poder multimídia.

"Queremos estar presentes nesse universo da cultura pop, dos nerds", explicou Mônica Spada e Sousa, filha de Maurício, diretora da MSP e inspiração para a personagem da turma do Limoeiro. "Para isso, estamos nos cercando de pessoas que entendem desse assunto, fazendo produtos para diversos públicos e encontrando espaço no meio digital."

Internacional. Com esse processo de internacionalização, e principalmente por conta do sucesso do canal Mônica Toy, a MSP tem encarado um processo tardio, mas necessário: o da universalização do conteúdo, levando o que há de melhor na Turma da Mônica para outros mercados. Atualmente, a Maurício de Sousa Produções já flerta com Estados Unidos, Europa e Japão -- neste último, há até quadrinhos voltados para brasileiros que estão se mudando para o País oriental e precisam se adaptar à rotina das escolas de lá.

"Hoje, 40% do público do Mônica Toy vem de fora do Brasil", comentou Mônica, também durante a coletiva e exibição. "Nós estamos explorando essa oportunidade que o digital nos dá. As pessoas querem ler as revistinhas da Turma fora do Brasil, por exemplo. Antes, não tinha como. Agora elas conseguem ler por meio do nosso app de produtos."

Política. Prestes a completar 60 anos de empresa, a MSP também ficou conhecida por não "comprar" projetos políticos de poder -- afinal, veja só, o presidente do Brasil na época de fundação da Maurício era Juscelino Kubitschek. Recentemente, porém, o criador da turma foi clicado numa foto com a polêmica Damares Alves, ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, que trabalha numa direção contrária e ideológico do que deveria fazer pela lógica universal dos direitos inalienáveis.

Mas, ao ser questionado, Maurício se defendeu. "Estava numa exposição em Brasília, acabei me encontrando com a Damares e ela pediu uma foto. Eu, como fã, não pude negar", explicou o cartunista. Além disso, ele se colocou contrário à Ditadura Militar, período sombrio do Brasil defendido pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL-RJ). "Não sou à favor de nenhum governo que censure a criatividade", afirmou, firme, Maurício de Sousa.

Fábio Porchat, como sempre muito espirituoso, encerrou bem esse assunto e fez com que a conversa sobre a MSP terminasse em tom positivo. "A Damares, na verdade, é fã do Chico Bento. Afinal, assim como ela, ele adora subir em cima de um pé de goiaba", brincou o humorista, fazendo com que o público presente gargalhasse e aplaudisse. Maurício, como sempre, manteve o sorriso no rosto. E logo saiu pra trabalhar de novo.