Buscar
  • Matheus Mans

Benito di Paula volta às origens com novo álbum em estúdio


O cantor e compositor Benito di Paula passou por uma forte estiagem. Ficou mais de 20 anos sem lançar uma composição inédita e seu último álbum em estúdio foi o fraco e esquecível Baileiro, de 2014, que não rendeu nenhuma pérola na discografia do cantor e compositor fluminense. Afinal, o músico se afastou de sua essência - sambas bem marcados e com piano ao fundo -- para apostar em um ritmo mais eletrônico. Agora, porém, Benito volta aos palcos com o projeto Essa Felicidade é Nossa, que resgata sua essência e o faz voltar aos holofotes.

Seu novo álbum conta com 10 faixas, sendo sete delas inéditas e de composição própria de Benito. As outras três, enquanto isso,são regravações de clássicos da música brasileira ou mundial, como Na Tonga da Mironga do Kabuletê e Deixa Isso Pra Lá, que foi sucesso na voz de Jair Rodrigues. E estas, além de inovarem pelo estilo das regravações -- que lembram um pouco o primeiro álbum da carreira de Benito, de 1971 -- também contam com as participações especiais do filho Rodrigo Vellozo e Fernanda Takai.

O grande destaque, porém, está nas inéditas. Essa Felicidade é Nossa, que abre o disco e virou o carro chefe de Benito, tem uma força que lembra canções como Se Não For Amor e Ah! Como eu Amei, com refrões fortes e letras marcantes. Tem tudo para se tornar um clássico na carreira do cantor ao lado de Charlie Brown e Retalhos de Cetim, ainda mais com a instrumentalização que é feita na versão para o disco.

Teia, que foi a primeira a ser lançada nesta nova safra e que é de autoria dos irmãos de Benito, volta a ter um pé no ritmo mais eletrônico e numa levada mais "kilt", como é no caso de Quero ser seu amigo e Não Precisa me Perdoar. No entanto, ainda assim, a canção possui uma letra intensa e com forte significado.

No entanto, junto com Essa Felicidade é Nossa, outras duas músicas chamam a atenção de quem ouve o novo álbum do músico fluminense: Como Eu Era Feliz e Deixa eu Ficar. A primeira parece um verdadeiro retorno às origens do próprio Benito -- e não apenas de seu lado musical. Com ela, o cantor faz uma viagem por ritmos brasileiros e ainda homenageia, de maneira singela, o mestre do baião Luiz Gonzaga.

Deixa eu Ficar parece o grito abafado de Benito, que pode ser finalmente solto para a multidão. É o pedido do compositor, já tão injustiçado no cenário musical brasileiro, para que agora, com o seu retorno, ele continua para sempre entre nós. Afinal, material, talento e música para isso ele tem de sobra. "Trago tanta coisa na memória/ Um poema, quase história/ Por favor, deixa eu te contar."

Nome do disco: Essa Felicidade é Nossa

Artista: Benito di Paula

Ano: 2017

Faixas: 10

Preço sugerido: ainda não tem. Lançamento em junho.

Disponível, com quatro músicas, no streaming