Buscar
  • Matheus Mans

Coletânea de contos de Sherlock Holmes é deleite para fãs de mistério


Sherlock Holmes é um dos mais conhecidos personagens da literatura mundial ao lado de Hercule Poirot, Jean Valjean e Mr. Darcy. Sua genialidade, vinda da mente de Sir Arthur Conan Doyle, transcende as páginas dos livros e já alcança filmes, séries de TV e histórias póstumas. No entanto, é nos contos de Conan Doyle que mora a essência do detetive inglês, permitindo que leitores e fãs de tramas policiais possam enxergar toda versatilidade de Holmes.

E um livro recente que resgata contos históricos do personagens é Escândalo na Boêmia e Outros Contos Clássicos de Sherlock Holmes, editado pela Record e que já pode ser encontrados nas livrarias. Compilado de quinze boas histórias de Holmes, o livro conta com uma curadoria precisa do professor Mário Feijó, que soube mesclar as faces do detetive. É possível encontrar desde crimes resolvidos na própria Baker Street e indo até as grandes epopeias policiais.

O conto que abre o livro, e que também dá título à coletânea, é o clássico Escândalo na Boêmia, publicado em 1891. É a história que apresenta Irene Adler -- considerada por muitos como a primeira e única grande paixão de Holmes -- e que conta com um bom e complexo desenrolar. Não é à toa que tem um final marcante e que causou comoção na época de publicação. Boa história para começar a entrar no universo de Sherlock Holmes e Dr. Watson.

Depois disso, o livro já emenda com o ótimo A Liga dos Ruivos, que tem alguns aspectos surrealistas em sua concepção e que entrega um final deveras surpreendente, passando pelo interessante O Ritual Musgrave e O Tratado Naval, apresentando um mistério ainda mais complexo do que Escândalo na Boêmia e que, pela primeira vez, mostra a proporção de algumas descobertas de Holmes -- podendo afetar órgãos e instituições públicas da Inglaterra.

Mas é com O Problema Final que o livro engrena de vez e, mesmo sendo episódico, deve fazer o leitor não sentir vontade de largar a coletânea. História que apresenta o vilão Moriarty, que possui intelecto à altura de Holmes, e que mostra como o detetive pode ter fraquezas. É bem escrito, intrincado em suas resoluções e, pela primeira vez, conta com uma narrativa extremamente emocional de Watson. Difícil não se deixar levar pela trama, ainda que o conto seguinte -- A Casa Vazia -- tire um pouco do peso narrativo que a história possui.

Os Seis Napoleões, conto que tem a responsabilidade de segurar o leitor após a força de O Problema Final e, em consequência, A Casa Vazia, cumpre sua tarefa com louvor. O mistério é bem dosado e, apesar de contar com uma das resoluções mais óbvias desta coletânea, consegue criar uma boa ambientação para Holmes. Depois, os contos O Pincenê Dourado e O Cliente Ilustre servem apenas de ponte para uma trinca poderosa de histórias de Conan Doyle.

A primeira é O Vampiro de Sussex, que trás uma resolução pouco óbvia e muito humana, fugindo da maioria dos mistérios de Holmes. A Ponte de Thor, enquanto isso, é uma boa trama de assassinato que tem uma solução criativa por parte do detetive, que acaba usando a arma de Watson para desvendar um crime pouco convencional. O livro, porém, volta a ganhar fôlego redobrado com o ótimo Os planos de Bruce-Partington, que apresenta a figura do irmão de Holmes e, novamente, mostra a força de suas investigações perante o governo.

No entanto, é por conta dos três últimos excelentes contos que Mário Feijó, o organizador, merece aplausos. É uma trinca forte de histórias e que termina Escândalo na Boêmia e Outros Contos Clássicos de Sherlock Holmes numa nota alta. O primeiro é o Detetive Agonizante, que mostra uma saída inteligentíssima para um crime; O Pé do Diabo, que tem um lado de horror que faz arrepiar -- algo pouco usual nas narrativas de Holmes--, e o emocionante Seu Último Caso -- Um Epílogo de Sherlock Holmes, que mostra um Holmes já aposentado.

É uma pena que a edição não tenha tecido comentários antes de cada uma das pequenas histórias de Sir Arthur Conan Doyle, dando mais força narrativa -- seria interessante saber, por exemplo, que A Casa Vazia foi escrito após xingamentos dirigidos à Doyle por conta de O Problema Final; ou, ainda, que Escândalo na Boêmia chocou conservadores britânicos por colocar Holmes abaixo de uma figura feminina. Mas tudo bem. Fica a lição de casa para os leitores.

Ainda assim, porém, Escândalo na Boêmia e Outros Contos Clássicos de Sherlock Holmes é um bom meio de resgatar a memória literária do clássico personagem com uma boa escolha e apresentação de contos. Não é a porta de entrada ideal para quem quer se aventurar pela primeira vez nas histórias do detetive. Isso continua à cargo de romances, como Um Estudo em Vermelho. Mas é, sem dúvidas, um bom meio de entusiasmar os fãs de Holmes e permitir que fãs ocasionais mergulhem de vez numa das mentes mais brilhantes da literatura moderna.