top of page
Buscar
  • Foto do escritorMatheus Mans

Crítica: 'A Maldição: Despertar dos Mortos' diverte com trama pouco usual sobre zumbis


Geralmente, quando pensamos em tramas sobre zumbis, nossa mente nos leva diretamente às criaturas de Romero: seres moribundos, caindo aos pedaços, que andam de maneira desengonçada, mas que representam perigo por conta da resistência e do perigo de uma única mordida. Por isso é curioso como A Maldição: Despertar dos Mortos segue outro caminho.


Estreia desta quinta-feira, 17, o longa-metragem acompanha a história de uma jornalista independente (Uhm Ji-won) que investiga fenômenos paranormais. Nesta história, que é um derivado da série The Cursed, a jornalista investiga a morte de um homem que é assassinado por um homem morto há três meses. Aí que descobrem a existência de zumbis amaldiçoados.


Dirigido por Yong-wan Kim (Bangbeob), A Maldição: Despertar dos Mortos, dessa forma, não se vale dos zumbis de uma maneira convencional. Eles "renasceram" por conta de uma espécie de magia voodoo. São controlados, são perigosos e, acima de tudo, nem sequer possuem aparência de zumbis como conhecemos dos cinemas. Conseguem correr, matar, perseguir e até falar.

Com isso, rapidamente, Kim consegue criar algumas cenas realmente boas. Há tensão no ar de A Maldição: Despertar dos Mortos, principalmente quando o diretor coloca os zumbis pra jogo. Quando eles estão em cena, a ameaça é crescente. Até mesmo arrebatadora. Difícil não sentir uma pontada de medo com zumbis -- apesar da cena em que saem dirigindo táxis por aí.


O grande problema do filme está no restante, na parte em que os zumbis não estão perseguindo pessoas ou mostrando toda sua força bruta. Yong-wan Kim cria uma trama de investigação sem muita vida, cheia de chavões típicos do gênero de suspense, e que tiram bastante do mergulho do espectador dentro da trama. Dá pra saber todo o desfecho com bom tempo de antecedência.


As coisas pioram pela artificialidade dessa história e do elenco de A Maldição: Despertar dos Mortos. Tudo é muito sem vida -- o exato contrário do que foi visto em Invasão Zumbi, por exemplo, que é um filme dos mesmos criadores. Algumas cenas, uma pena, se tornam até mesmo cômicas, como a sequência final em que uma das vilãs da história é desmascarada.


A Maldição: Despertar dos Mortos, assim, tem seus pontos positivos, principalmente pela forma que trata os zumbis, deixando a obviedade de lado. No entanto, quando tenta criar uma trama a mais, indo para além das tais criaturas, tudo se perde. Sinceramente? Confesso que preferia muito mais ver os zumbis dirigindo mais táxis por aí do que mais da história dessa jornalista.

 

0 comentário

Comments


bottom of page