Buscar
  • Matheus Mans

Crítica: 'A Música da Minha Vida' é bom filme ao som de Springsteen


Javed (Viveik Kalra) é um adolescente britânico de ascendência paquistanesa cujos maiores sonhos são se tornar escritor e sair da pequena cidade de Luton, onde mora com seus pais, sua irmã e sua prima. Ele passou os últimos anos da sua vida tentando se encaixar em sua família muçulmana e em uma sociedade ocidental ao mesmo tempo, mas sem sucesso. Frustrado e sem perspectiva, sua vida muda completamente quando escuta Dancing in the Dark, de Bruce Springsteen.

A Música da Minha Vida, dirigido por Gurinder Chadha, é baseado no livro Greetings from Bury Park, do jornalista Sarfraz Manzoor. Ambientado em 1987, o longa-metragem mostra como o protagonista transforma o seu destino inspirado pelas músicas de Springsteen, que o ajudam a enfrentar o preconceito, a educação rígida do pai (Kulvinder Ghir) e a conseguir coragem para realizar seus sonhos.

Conflitos com seus amigos e família, a falta de habilidade para encontrar uma namorada e a necessidade de encontrar seu lugar no mundo estão bastante presentes na narrativa. Além disso, também estão evidentes no longa aspectos da Grã-Bretanha dos anos 80, como a xenofobia, o fascismo e a crise econômica que afeta diretamente os pais de Javed. Tudo é explorado na medida necessária e com personagens bem construídos.

Chadha e o roteirista Paul Mayeda Berges não só conseguiram encaixar diversos aspectos clássicos da vida de um adolescente no roteiro, mas também questões sociais importantes para se refletir (inclusive nos tempos atuais). A sensação é de que você é naturalmente absorvido pela história.

Embora o enredo apresente vários acontecimentos nada realistas e alguns até clichês -- o que pode parece algo negativo de início -- é perceptível que estes momentos são necessários para entrar na “onda” sonhadora do personagem e para entender como Javed se sente quando escuta as músicas do seu ídolo. Quem já foi fã de algo ou alguém se identificará facilmente com as emoções do protagonista e aqueles que nunca tiveram essa sensação poderão experimentá-la ao assistir ao longa-metragem.

O elenco está muito bem, com destaque para Viveik Kalra, que entrega uma atuação tão cativante quanto a história de seu personagem. O figurino também é muito divertido e característico da década de 80, além trilha sonora incrível de Springsteen que cria uma atmosfera perfeita para o filme.

O desenvolvimento da relação entre Javed e seu pai autoritário e tradicional -- que acredita que escrever é apenas um hobby para o filho e abomina vários costumes ocidentais -- é uma das partes mais legais da história e a que mais retrata o amadurecimento dos personagens.

A Música da Minha Vida é muito mais do que uma homenagem encantadora às canções de Springsteen. É sobre encontrar sua própria voz, sobre família, amizade, amor, intolerância e sobre como a música pode ser algo inspirador e reconfortante, especialmente em tempos difíceis. O filme estreia nos cinemas no dia 19 de setembro.