Buscar
  • Matheus Mans

Crítica: 'A Viúva das Sombras' é cópia barata de 'A Bruxa de Blair'


Nos últimos anos, a Paris Filmes tem se empenhado em trazer filmes russos de terror para o Brasil. No entanto, ainda que uma ou outra história seja interessante, a maioria é terrível. Filmes como A Noiva e Sereia são filmes para deixar cair no esquecimento. Agora, a distribuidora volta com mais um exemplar desse cinema esquecível com o fraquíssimo A Viúva das Sombras.


Dirigido pelo estreante Ivan Minin, o longa-metragem acompanha alguns acontecimentos sinistros que acontecem numa região florestal ao norte de São Petersburgo onde pessoas desapareceram ao longo das últimas três décadas. Assim, já nos tempos atuais, acompanhamos uma equipe de resgate que sai em busca de um jovem na área, mas também se torna vítima.


Sem vergonha alguma, A Viúva das Sombras repete as mesmas fórmulas, tiques e manias de A Bruxa de Blair. Basicamente, não há nada de diferente -- como o tal grupo de resgate, por exemplo. Isso não é nada. A sensação de estar vendo algo absolutamente reciclado, sem qualquer toque de originalidade ou criatividade, persegue o espectador em todos 90 minutos.

Ainda bem, porém, que A Viúva das Sombras é bem feito tecnicamente. Alguns sustos são bem encaixados, ainda que os jumpscares sejam exagerados. Mesmo com essa sensação de algo sendo repetido, em fórmula e conteúdo, dá para se divertir com alguns amigos, pular da cadeira algumas vezes e coisas do tipo. Mas, mesmo com esses pontos, não dá pra levar o filme a sério.


Além disso, vale uma ressalva para a versão brasileira do filme. Assim como os já citados A Sereia e A Noiva, este A Viúva das Sombras é um filme russo, certo? Logo, ele é falado em russo. No entanto, a versão que chega no Brasil é dublada em inglês. Uma dublagem bem ruim, por sinal. Assim, entramos em contato com o diálogo apenas com a legenda, após duas traduções.


É algo que deixa o filme mais engessado, mais estranho. E contribui para uma experiência geral bastante cansativa. A Viúva das Sombras, infelizmente, é mais um filme que não vai trazer pontos positivos. Pode deixar um grupo de amigos animados enquanto assiste ao longo, ou até alguém mais medroso vai se assustar. Mas o grande público, em sua maioria, passa impassível.

#Crítica #Terror #Cinema #Filme

0 comentário