Buscar
  • Matheus Mans

Crítica: 'Billy The Kid: O Fora da Lei' é faroeste sem personalidade no Telecine


Confesso que fui assistir a Billy The Kid: O Fora da Lei, do Telecine, com sede ao pote. Afinal, o longa-metragem reúne uma série de características que o tornam rapidamente identificável. É um faroeste, com promessa de ser ao "estilo de antigamente". Vincent D'Onofrio assume a direção, enquanto Ethan Hawke (Antes do Amanhecer) e Dane DeHaan (A Cura) protagonizam.


Mas que filme mais confuso e sem personalidade é Billy The Kid: O Fora da Lei. Primeiramente, vamos começar por um problema central de divulgação: Billy The Kid é, na verdade, um coadjuvante dentro da trama. No título original, The Kid, a referência é feita por conta de um garoto que mata o pai, após agressões à mãe, e precisa fugir com a irmã no Velho Oeste. Billy The Kid (DeHaan) é apenas um acidente de percurso do jovem Rio (Jake Schur). Tem importância, sim, mas não a ponto do título em português fazer essa referência direta. Dessa forma, com um Dane DeHaan apagado e um jovem Jake Schur sem muitos atributos, o destaque do longa-metragem recai em Ethan Hawke. Ele está bem, mas não a ponto de segurar o filme.

Mas esses problemas de elenco e da forma que o filme foi divulgado são passáveis e aceitáveis. O grande problema aqui está na direção de D'Onofrio, que assume seu segundo filme após carreira consolidada como ator. Aqui, há pouca coesão na narrativa e pouquíssima personalidade. Parece que o cineasta tentou juntar uma série de histórias em uma coisa só.


Fica um filme bagunçado, até mesmo estranho. Começa com um faroeste de emboscada, desemboca em um drama contemporâneo e termina tentando misturar essas duas coisas sem muito sucesso. Vira uma maçaroca. Tudo bem que, ainda assim, há diversão que pode ser encontrada aqui: algumas cenas de bang-bang bem filmadas, alguma tensão. Mas só isso.


Uma pena que um elenco tão rico, com uma história de potencial, tenha sido desperdiçado dessa maneira. O filme simplesmente não foi pra frente, deixando um gosto amargo na boca e a sensação de que poderia ter sido muito melhor -- ainda mais falando de Ethan Hawke, Vincent D'Onofrio, DeHaan e até mesmo Chris Pratt, que faz uma participação. É só diversão passageira.

#Filme #Cinema #Crítica #Faroeste #Drama

0 comentário