Buscar
  • Matheus Mans

Crítica: Difícil não dar um sorriso com o simpático 'Case Comigo'


Case Comigo não é um grande filme, tampouco é daquelas histórias absolutamente memoráveis. Mas nem precisa. Confesso que assisti aos 112 minutos do longa-metragem com um sorriso no rosto quase que eterno. Afinal, o longa-metragem protagonizado por Owen Wilson e Jennifer Lopez tem um charme todo seu, típico das boas e eternas comédias românticas.


Tudo começa, aliás, pela boa premissa. Jennifer Lopez (As Golpistas) é Kat Valdez, uma cantora de sucesso que vai ser casar com um outro artistas muito conhecido (interpretado por Maluma). No entanto, no dia do casamento, bomba: Kat foi traída. Desesperada e perdida no palco, onde ia se casar na frente de uma multidão, ela toma a decisão de se casar com um cara ali na plateia.


Esse cara aleatório é Charlie (Owen Wilson), um professor de matemática divorciado que sequer sabia da existência de Kat -- estava no show, na verdade, apenas para acompanhar a filha. E assim, sem querer, sua vida vira de cabeça para baixo. De um lado, então, há a estrela absoluta da música. Do outro, há esse cara que só quer que seus alunos se saiam bem em matemática.

Nessa mistura inusitada, típica de comédias românticas, a diretora Kat Coiro (da boa série Disque Amiga para Matar) sabe conduzir uma trama gostosa e simples. Há o romance e a potência da personagem de Lopez, mas o que se destaca aqui é o humor verdadeiro: a cena de Wilson apresentando Lopez para seu cachorro é uma das mais divertidas do cinema em 2022.


Obviamente, nem tudo é perfeito. Muitos momentos parecem uma grande propaganda para a carreira de Jennifer Lopez e Maluma -- eles lançaram umas três músicas com Case Comigo -- e para outros serviços também, em cenas pouco naturais. Isso tira o ritmo do filme de maneira exagerada. Uma única cena de música já estaria de bom tamanho, sem precisar de mais nada.


Mas tudo bem. Case Comigo é um filme simpático e que rende alguns bons sorrisos e até boas risadas. De novo: não vai mudar sua vida, conta com alguns exageros e tampouco é realmente memorável. Só que há verdade na história contada por Kat e adaptada de uma história em quadrinho de Bobby Crosby. Um bom filme, enfim, sobre os encontros verdadeiros do amor.

 

0 comentário