Buscar
  • Matheus Mans

Crítica: 'Em Busca dos Seus Sonhos' é despretensiosa comédia russa


Infelizmente, o cinema russo tem pouquíssimo alcance no Brasil. De um lado, as produções dramáticas do maior país do mundo contam com distribuição independente em nossas fronteiras, alcançando poucas pessoas. Por outro, aqueles filmes de terror, que geralmente são distribuídos em cópias dubladas, não conseguem traduzir a cultura russa nas telonas.


Por isso, mesmo que aos trancos e barrancos, é divertido assistir ao filme Em Busca dos Seus Sonhos. Dirigido pela cineasta Antonina Ruzhe, o longa-metragem conta a história de Rita, uma doce e ambiciosa jovem de um povoado, que decide romper com a rotina de realizar festas de casamentos e matinês locais, e conquistar a capital, tentando ingressar na escola de teatro.


A partir daí, numa direção que joga no seguro o tempo todo, vamos acompanhando as desventuras dessa jovem em plena Moscou. Antonina filma o tempo todo da maneira quase banal, sem grandes lampejos de criatividade. Mas as situações na qual a protagonista se mete, com uma atuação graciosa de Yuliya Topolnitskaya, são gostosas de assistir. Um filme simpático.


A condução de Antonina, em determinado momento, chega a lembrar comédias brasileiras, mostrando um pouco a cidade, a rotina e o comportamento das pessoas na Rússia -- sem os sustos do terror, nem o peso dos dramas que chegam no Brasil. É um cinema diferente do que estamos acostumados e é interessante conhecer a comédia de um país raro no nosso cinema.


Mas as coisas desandam, realmente, lá pros 30 minutos finais. Primeiramente, inserem a história de um romance sem química e sem sentido. A história fica repetitiva demais, deixando os bons atributos de lado. E falta para Antonina o senso do que uma história como essa, de proposta leve, pode mostrar ou contar -- há cenas, por exemplo, surpreendentemente "quentes".


No final, Em Busca dos Seus Sonhos acaba se atropelando em suas ambições e histórias, perdendo um pouco do tom leve e gracioso visto principalmente nos 20 minutos iniciais. Ainda é uma produção interessante para quem quer mergulhar na cultura russa pelo cinema, diferente do que estamos acostumados. Mas, fica o aviso: é preciso relevar a qualidade da produção.

#Crítica #Cinema #Comédia #Filme

0 comentário