Buscar
  • Matheus Mans

Crítica: 'Em um Bairro em Nova York' é musical que agrada fãs de 'Hamilton'


Foi em 2020 que Hamilton se tornou um verdadeiro sucesso no Disney+, consagrando Lin-Manuel Miranda de vez em Hollywood. Um outro sucesso seu é a peça In the Heights, que ganha sua versão cinematográfica nesta quinta-feira, 17, com Em um Bairro em Nova York. Aqui, ele é o autor das canções sobre um bairro latino passando pela gentrificação. É a transformação implacável de quando há especulação imobiliária numa área e expulsão dos mais pobres dali.


A partir daí, com claras referências de Faça a Coisa Certa, o longa-metragem dirigido por Jon M. Chu (Podres de Ricos) nos coloca no centro de duas histórias principais. De um lado, Usnavi (Anthony Ramos) é o dono de uma bodega que sonha em voltar para a República Dominicana enquanto também tenta conquistar a bela Vanessa (Melissa Barrera). Ainda há a jovem saindo da faculdade, a senhora que todos tratam bem, a dona do salão sofrendo com as mudanças....


É, enfim, um filme sobre sonhos. Com uma fotografia luminosa, mostrando desde o começo que Em um Bairro em Nova York tem uma pegada solar, o longa-metragem tenta sempre trazer momentos positivos, pra cima, empolgando o público. Chu mostra que sabe conduzir esse tipo de história, apesar de deslizes aparentes -- há várias faltas na continuidade de cenas musicais e até mesmo problemas aparentes, e que te tiram da magia do musical, com sincronização de voz.

Felizmente, porém, o elenco consegue recuperar parte dessa magia (apesar da atuação apenas mediana de Ramos) e, principalmente, há uma alta na qualidade do longa com o design de produção. Será uma injustiça, em 2022, se a Academia ignorar esse aspecto no Oscar. Merece o devido reconhecimento. Voltando para a atuação, os dois grandes destaques ficam por conta de Barrera, apaixonante na tela, e principalmente Olga Merediz como a "avó daquela comunidade".


Por fim, as músicas devem novamente agradar aqueles que se encontraram em Hamilton: são modernas e ritmadas, sempre puxando referências do rap, ainda que algumas canções como Carnaval del Barrio e Paciência y Fé deixem a pegada latina mais evidente. Pena que o filme se alongue demais, passando das 2h20. As músicas não conseguem sustentar por tanto tempo e fica cansativo. A roteirista Quiara Alegría Hudes, também autora da peça, poderia ter enxugado.


Assim, Em um Bairro em Nova York é um filme pra cima, um dos mais bem produzidos de 2021, com músicas marcantes, um visual que chama a atenção e com um trama que se apoia em uma mensagem sobre sonhos e esperança que conversa muito com o que o mundo vive em 2021 -- apesar das ingerências, afinal, de olho no fim da pandemia. Tem seus problemas e principalmente seus excessos, mas deve agradar quem gostou do que viu em cena em Hamilton.

#Crítica #Cinema #Filme #Musical

0 comentário