Buscar
  • Matheus Mans

Crítica: 'Encantado' escancara a política brasileira dos últimos anos


Depois do impeachment da presidente Dilma Rousseff e a subida de Jair Bolsonaro ao cargo máximo do governo brasileiro, uma série de documentários começou a analisar esse processo político no País e a forma que se desenvolveu até aqui. Começou com o excelente O Processo, caminhou para o oscarizável Democracia em Vertigem e fecha agora com o bom Encantado.


Dirigido pelo estreante em longas Filipe Galvon e selecionado para o BIFF 2020, o longa-metragem mostra a visão do diretor sobre a vida política do Brasil desde a eleição de Luís Inácio Lula da Silva, em 2002, passando pelo golpe sofrido pela presidente Dilma Rousseff e pelo governo de Michel Temer, até chegar aos desencontros e extremos políticos de 2018 e 2019.


Assim como nos dois outros documentários aqui citados, Galvon se vale de uma ideologia e ótica particulares para falar sobre esses acontecimentos. E isso é claro desde o primeiro momento. Ele se posiciona sobre acontecimentos políticos, entrevista majoritariamente agentes políticos mais ligados à esquerda e dão uma visão geral, limitada ao seu olhar, sobre a política do País.

E tirando uma narração sonolenta, muito pior e mais irritante do que a feita por Petra Costa em Democracia em Vertigem, Encantado é extremamente feliz em sua abordagem e em sua condução. A produção é sensível e não fica presa apenas em politicagem ou coisas muito fora da realidade do brasileiro. O roteiro de Galvon, a todo o momento, traça paralelos com o público.


Pena que algumas passagens sobre um movimento de protestos na França seja tão descolado com a proposta do filme. Interessante, mas não conversa com a ideia geral proposta no longa.


A grande sacada, porém, é mostrar como os mandos e desmandos da política brasileira refletiram no pequeno bairro carioca de Encantado -- e que dá nome ao excelente título, cheio de interpretações. É desolador, triste e impactante ver como o bairro se transformou ao longo dos anos. É um retrato histórico, social, político e econômico forte, impactante e marcante.


Em resumo, Encantado é mais uma peça importante nesse quebra-cabeça de filmes e documentários sobre períodos tão sombrios da política brasileira. Sem dúvidas, daqui alguns anos, quando as crianças e adolescentes não entenderem esses tempos turbulentos, filmes como Encantado ajudarão a formar a educação brasileira. E, quem sabe, um País melhor.

#Crítica #Cinema #Filme #Documentário #BIFF #CoberturaEspecial