Buscar
  • Matheus Mans

Crítica: 'Framing Britney Spears' é documentário simples no Globoplay


Um dos filmes mais aguardados e comentados dos últimos tempos, o documentário Framing Britney Spears chegou de surpresa ao Globoplay no último sábado, 20. É, sem dúvidas, uma boa adição ao serviço de streaming. Afinal, o longa-metragem (que é curtinho, só 1h14) vai direto ao ponto ao falar sobre a vida da estrela pop Britney Spears, sumida dos holofotes há alguns anos.


Dona de hits como Toxic e Baby One More Time, a cantora pop fez sucesso entre os anos 1990 e 2000, criando os pilares de um movimento que, depois, iria parir nomes como Taylor Swift. No entanto, por conta da superexposição da mídia, Spears não aguentou a pressão. Acabou surtando, ficou mal. E acabou sendo tutelada pelo pai, que manda em tudo de sua vida há anos.


Em Framing Britney Spears, assim, a diretora Samantha Stark faz uma espécie de reportagem em "formato de cinema". Além de falar brevemente sobre a vida de Spears, o longa-metragem mostra a força do movimento Free Britney Spears, que mostra como a tutela do pai tem praticado abusos psicológicos contra a cantora. Ela não tem controle sobre nada em sua vida.

O filme é bem simples e eficaz, mostrando por A mais B como as coisas aconteceram e acontecem na vida de Britney Spears. É interessante, e revoltante, mergulhar nessa história e como ela se tornou limitada dentro de suas próprias ações. É mais um documentário informativo, como é estilo das produções do The New York Times, sem grandes momentos.


Obviamente, o documentário teria ficado muito mais rico se a produção tivesse conquistado acesso mais direto às pessoas ao redor de Britney -- obviamente, ela não falaria, mas talvez teria sido interessante uma entrevista chocante, inédita ou coisa do tipo. Da forma como ficou, parece apenas que pegaram um fórum da internet, tornando-o palatável ao audiovisual.


Enfim, Framing Britney Spears é um bom longa-metragem. Informativo, interessante e que mexe com as emoções. Poderia ser mais ousado, sem dúvidas, mostrando melhor como as coisas acontecem ou poderiam acontecer. Hoje, já está um pouco mais datado, com algumas informações que já avançaram. Mas tudo bem. Vale, ainda, como uma introdução ao tema.

#Crítica #Globoplay #Cinema #Filme #Documentário

0 comentário