• Matheus Mans

Crítica: ‘Invasão Zumbi’, na Netflix, acerta com trama sem exageros


O nome em português engana. Invasão Zumbi lembra alguma produção de “lado B”, brega, cheia de efeitos visuais ruins. Por isso, não é surpresa se muitos passarem batido pelo filme na Netflix, que estreou na plataforma no sábado passado, dia 1º de junho. Mas quem passa batido, não tem ideia do que está perdendo. Invasão Zumbi, que tem título original de Train to Busan, foi um dos melhores filmes de 2016 e é o melhor longa-metragem de zumbis dos últimos anos.

Dirigido pelo coreano Yeon Sang-ho, o filme tem uma premissa simples: mostra um pai, que é ausente, levando a filha em uma viagem de trem para reencontrar a mãe, na pequena cidade de Busan (daí o título original do filme). No meio do caminho, porém, as pessoas começam misteriosamente a se transformar em zumbis -- até mesmo, é claro, dentro do trem onde o pai e a filha estão viajando. Depois disso, o resto é uma história de ação de tirar o fôlego.

O grande ponto alto do longa-metragem é reverter o grandiosismo de recentes filmes com zumbis, como Guerra Mundial Z, e criar uma belíssima história de escapismo. O pai e a filha não querem salvar o mundo, não querem descobrir o que está causando o surto de fazer as pessoas se tornarem zumbis. Eles querem apenas sobreviver e, no caso dela, chegar em Busan para reencontrar a mãe. É uma trama aparentemente simples e que não usar alguns dos elementos frequentes de filmes hollywoodianos.

Além disso, vínculo entre pai e filha é construído com cuidado e atenção por Sang-ho, que também é o roteirista. A relação entre eles evolui conforme a trama avança e a situação de desespero generalizada é perpetuada. Você começa com raiva do pai, que se mostra uma pessoa fria e distante, mas acaba entendendo seu comportamento e, no final, torce para que ele consiga salvar a filha e todos que estão ao seu redor, fugindo de uma “manada” de zumbis.

Sang-ho também acerta na criação visual dos zumbis, que lembra clássicos como A Noite dos Mortos Vivos e Madrugada dos Mortos. Causam medo e desconforto. Além disso, todos personagens secundários são bem escritos, com altos e baixos -- é impossível não ficar atraído por um ou outro personagem, torcendo pela sua sobrevivência. O antagonista, que funciona como uma espécie de líder dentro do trem, é maldoso na medida certa e tem uma motivação honesta: sobreviver.

Enfim, Invasão Zumbi é um dos melhores filmes do gênero e deve atrair até quem não é fã dos zumbis. Esqueça a péssima tradução e dê uma chance para o longa-metragem coreano que quase passou em branco em 2016. Aposto que você vai terminar o filme sem ar e algumas lágrimas nos olhos, desacreditado que um filme com mortos-vivos pode causar isso em uma pessoa.

#DicasdeStreaming #Crítica #Terror