top of page
Buscar
  • Foto do escritorMatheus Mans

Crítica: 'Na Sinfonia do Coração', da Netflix, é bonitinho, mas exagera no tom fantasioso


Sümbül (Hazar Ergüçlü) está de casamento marcado. Ainda que não conheça o noivo, as preparações estão a toda -- vestimentas, comida, música. Tudo está nos conformes. No entanto, duas coisas acontecem e que colocam um fim na festividade. Primeiro, antes da celebração, a personagem conhece Piroz (Erkan Kolçak Köstendil), o músico nômade que vai tocar em seu casamento. Se apaixona. Ou melhor: se apaixonam. Depois, o noivo desiste da união alegando que ela não é pura. Esse é o início de Na Sinfonia do Coração, estreia da Netflix nesta quarta, 11.


Dirigido e roteirizado por Soner Caner (Rauf), é a história de amor clássica, como já conhecemos e vimos aos montes ao longo dos anos. No entanto, aqui não há um príncipe perfeito e uma gata borralheira do outro lado. Os dois aqui são borralheiros. Ele, afinal, é músico, nômade e vive em uma vila simples, sem posses. Ela, enquanto isso, cai em desgraça por conta dessa falta de pureza. É condenada à morte. Como escapar dessa? A partir daí, acompanhamos essa história de amor tão clássica, mas repleta de particularidades, com as duas pontas fora da normalidade.


Visualmente, já se percebe que Caner abraça o fantasioso. É tudo muito colorido, surreal, divertido. Até mesmo situações levam frequentemente para isso: o pai de Piroz é apaixonado por uma mulher pouco após a morte de sua esposa e, para tentar alcançá-la, vai dentro de uma carroceria de um carro antigo levado por um cansado cavalo. Percebe-se quase uma intenção de fábula aqui, de conto de fadas, com Caner abraçando o improvável. Lembra um pouco de O Fabuloso Destino de Amélie Poulain, com todas suas cores, personagens excêntricos e afins.


O pecado de Na Sinfonia do Coração está em como isso atinge os personagens. Se hoje em dia até mesmo as princesas da Disney estão cada vez mais realistas, com dilemas humanos e sociais contemporâneos, é difícil embarcar em um filme como esse em que os personagens são tão irreais. Eles parecem saídos da imaginação de uma criança, planos de tão ingênuos. Causa um certo incômodo e, com isso, o distanciamento do espectador para com a trama é intensificado. Fica complicado sentir empatia pelos personagens, assim como identificação.


No final, fica a sensação de ser realmente um filme bonitinho e simpático, com um visual que causa um aconchego imediato, mas que logo depois se perde. Na Sinfonia do Coração, afinal, poderia ser mais do que é. Só precisa ter mais conexão com a realidade e, assim, fazer com que o espectador não veja o filme tão impassível. É difícil segurar o bocejo, assim como aquela vontade de usar o celular, conforme os vínculos entre história e espectador vão enfraquecendo.

 

15 comentários

15 comentários


Edwirges Piermatei
Edwirges Piermatei
26 de out. de 2023

Posso resumir a crítica em: Não faz a menor ideia do que é o universo cinematográfico da Turquia. Eu assisti e ainda assisto muitas produções turcas, comédias, romances, dramas, séries intermináveis... Esse filme é muito bem produzido e maravilhoso. É a cara da comédia dramática da Turquia, leve e divertido, ao mesmo tempo, tradicional e trágico. Custei a me render e assistir, ficou na minha lista por muito tempo, más valeu cada segundo. Pra quem está lendo isso e gostou desse filme, recomendo: Mucize A mesma pegada de comédia dramática, bem ambientada.

Curtir

Fernanda Sant Anna
Fernanda Sant Anna
11 de ago. de 2023

DISCORDO TOTALMENTE COM A "CRITÍCA" , O FILME É LINDO, ROMÂNTICO, SUAVE E COM TOQUES DE HUMOR, ESSE AMOR É REAL SIM!!!! EM QUALQUER PARTE DO MUNDO PODE-SE VIVER UMA SITUAÇÃO COMO ESSA!! E COM CERTEZA PRECISAMOS SAIR DA REALIDADE PARA RESPIRAR UM POUCO FORA DESSE MUNDO TÃO INSENSÍVEL, CRUEL E CAPITALISTA DE VALORES INVERTIDOS, ONDE A REGRA É PASSAR POR CIMA DE TUDO PARA ALCANÇAR O OBJETIVO, PRECISAMOS URGENTEMENTE RESGATAR A PUREZA E A INGENUIDADE, O FINAL É LINDO, FUI ÁS LÁGRIMAS, ONDE RETRATA A FORÇA DO AMOR QUE ULTRAPASSA A MORTE, É O PRIMEIRO DE MUITOS FILMES TURCOS QUE ASSISTIREI!!!

Curtir

Nanan Music
Nanan Music
23 de fev. de 2023

Pelo jeito quem escreveu a crítica está envernizado de "realidade", bocejando e olhando o celular, esperando seu iFood chegar. Lamentável ver uma crítica tão insensível que reduz o filme ao excesso de estímulo pessoal de quem a escreveu. Na minha opinião o filme é fantástico do começo ao fim, pois retrata uma realidade cigana, nômade, descolada SIM da nossa realidade babilônica. Fala sobre um amor real, improvável, e fora da curva dos dogmas e conservadorismos. Talvez isso incomode quem escreveu a crítica... "Ingenuidade" e "pureza de coração" são conceitos bastante rebeldes para quem está na normose do estímulo e scripts batidos. Cinema turco é coisa de gente grande.... Temos muito que aprender com o oriente!

Curtir

José Rosa
José Rosa
03 de nov. de 2022

Fugir do real, não é isto que buscamos na arte? Acho que o filme propicia isto. E mais, mostra a força da música e do amor que é capaz de tudo, até de fazer defuntos ressuscitarem. Apreciei muito!

Curtir

Keren Happuch
Keren Happuch
07 de set. de 2022

Também lembrei desse filme!

Curtir
bottom of page