top of page
Buscar
  • Foto do escritorBárbara Zago

Crítica: 'O Exorcista: O Devoto é desrespeito com o original de 1973


Quando a Universal Pictures resolve adquirir os direitos do clássico O Exorcista na intenção de transformá-lo em uma franquia, já era possível imaginar que seria muito difícil fazer algo à altura -- afinal, o original é uma das grandes referências do gênero de terror. E, mesmo com as expectativas baixas, O Exorcista: O Devoto, estreia da última quinta, 12, consegue decepcionar.


Pra começar a conversa, esqueça o original de William Friedkin. O mais próximo que temos são algumas frases de referência e aparições do filme de 1973. No novo longa, sequer existe um exorcista, apesar do nome. O diretor David Gordon Green (Halloween) conta a história de duas amigas de 13 anos que decidem invocar um espírito e ficam desaparecidas por 3 dias.

Uma delas perdeu a mãe no terremoto do Haiti e a outra tem pais extremamente católicos. Quando as famílias enfim as encontram, estão agindo de forma estranha: o clichê de criança possuída que já vimos em tantos filmes por aí. Não existe muito desenvolvimento de personagem para que possamos ter empatia pelas meninas.


Após uns 40 minutos, o filme desanda totalmente. O ritual para tentar salvar as duas garotas não é feito com um exorcista, e sim com as famílias e outros amadores religiosos. Chega a ser desrespeitoso dizer que é uma sequência do original. Na tentativa de dar maior credibilidade, Ellen Burstyn volta para a continuação, mas sua personagem é tão maltratada que chega a dar pena. Ao mesmo tempo em que não honra o clássico, também não acrescenta nada de novo. São alguns jumpscares, mas nada mais.


O Exorcista: O Devoto me lembrou de uma época, entre 12 e 13 anos, em que gostava de alugar filmes de terror para assistir com os amigos, morrer de medo de qualquer coisa e depois esquecer tudo o que assistiu. Quando a intenção é não levar o filme a sério e somente dar risada de algumas péssimas atuações, como a cara de paisagem de Leslie Odom Jr., e quem sabe tomar uns sustos previsíveis, cumpre bem seu papel. Mas se a expectativa é ter qualquer memória afetiva do original: pense duas vezes antes de gastar seu tempo e dinheiro.

 

0 comentário

Comments


bottom of page