Buscar
  • Giulia Costa

Crítica: 'Shakira in Concert: El Dorado World Tour' mostra força da popstar

Shakira in Concert: El Dorado World Tour é um documentário sobre a turnê de divulgação do álbum El Dorado da cantora Shakira, vencedor de dois Grammys latinos e o décimo primeiro CD de sua carreira. Após sete anos sem realizar turnê, a cantora viajou a Europa, Ásia, América do Norte e América Latina em 2018 fazendo 54 apresentações e cantando grandes sucessos como Hips Don’t Lie, Waka Waka e Whenever Wherever. O filme estreou sexta-feira, 31, no HBO GO.


O documentário foi dirigido pelo diretor e produtor James B. Merryman, conhecido pelo seu trabalho de cobertura de grandes eventos musicais, como o Victoria’s Secret Fashion Show, cerimônias do Grammy, MTV Movie Awards, entre outros. Além disso, ele também produziu episódios do programa American Idol e o filme David Bowie Is Happening Now.


Ao contrário de documentários musicais que focam apenas em gravar os shows ou em contar a história de um artista, Merryman resolveu fazer uma mistura dos dois. Em Shakira in Concert é possível acompanhar tanto momentos espetaculares das apresentações da colombiana, quanto bastidores, ensaios e depoimentos de Shakira. Amigos e familiares também estão presentes.

Exceto por alguns cortes de cena abruptos que deixam algumas situações um pouco confusas, o filme é excelente. Ao alternar o show com momentos particulares, o documentário ganha dinamismo e não corre o risco de ficar entediante. É possível conhecer um pouco mais sobre Shakira e perceber porque ela se tornou uma popstar de sucesso mundial.


A cantora mostra ser uma artista completa e que tem total domínio sobre sua carreira. O espectador a vê mostrar todos os seus talentos: ela canta, dança, compõe, fala várias línguas, toca diversos instrumentos e sua música é tão versátil quanto ela, cheia de influências do pop, rock, reggae e ritmos latinos. Ela também se envolve minuciosamente em toda a produção do seu trabalho. Seus pitacos vão desde detalhes das luzes de palco à mixagem de suas músicas.


Merryman também foi capaz de captar com delicadeza os momentos mais cativantes e vulneráveis da artista sem apelar para o melodrama. O público pode assistí-la contar sobre sua recuperação da lesão das cordas vocais que a fez achar que nunca mais poderia cantar, além de conhecer mais sobre sua relação com sua família, trabalhos sociais e seus admiradores.


Um dos grandes destaques do filme é a transformação do palco e da própria Shakira conforme as músicas. Cada canção possui sua própria atmosfera e o documentário consegue captar tudo com movimentos de câmera e adicionando efeitos especiais. Cada performance se torna um capítulo diferente, com energia e ritmos únicos, e a emoção dos fãs em vê-la cantar é incontestável. Quem assiste se sente transportado ao show e entra na ótima vibe da cantora.

#Crítica #Cinema #Televisão #Documentário