Buscar
  • Matheus Mans

Crítica: 'Transversais' é filme que transpira resistência política


Foi em 15 de agosto de 2019 que o presidente Jair Bolsonaro, em uma live, começou a desacreditar algumas produções brasileiras em editais. O principal destaque, porém, foi uma série sobre cinco pessoas transgênero que vivem no Ceará. Bolsonaro fez deboche, disse que era dinheiro jogado fora. No entanto, dois anos depois, Transversais resiste e chega na Mostra.


Dirigida por Emerson Maranhão, a produção chega diferente ao grande público. Já não é mais uma série, mas sim um filme -- afinal, naquele edital que Bolsonaro desqualificou, não foi aprovada. No entanto, de certa forma, pode-se dizer que essa desqualificação de uma figura tão desqualificada (o que já transforma tudo em um grande elogio) impulsionou Transversais.


Não sabemos como seria essa ideia de Maranhão em formato televisivo, mas no cinema funcionou. Ainda que um tanto quanto limitado em alguns aspectos que falaremos a seguir, o longa-metragem transpira resistência. A sensação é de que o diretor e roteirista conseguiu vencer o preconceito e o ódio e, mesmo com limitações, colocou um filme desse em pé.

A seleção de histórias, sobre pessoas transgênero que enfrentam os desafios do cotidiano no Ceará, é poderosa. Sentimos a dor de alguns dos personagens, assim como as conquistas de outros. Transversais conta algumas histórias que já conhecemos -- o que enfraquece o filme como um todo --, mas ajuda também a dar novas visões e, principalmente, esperança.


O filme, afinal, é uma amostra de como a resistência funciona. Bolsonaro reclamou, o filme existe. Histórias como a da mãe que ficou ao lado da filha quando essa se entendeu e se assumiu como transgênero é um Brasil avesso ao de Bolsonaro e que Emerson Maranhão tão bem consegue colocar na tela. Sentimos a esperança, o alívio e a emoção versus a barbárie.


Como dito, algumas histórias ou momentos retratados caem em um lugar-comum um tanto quanto cansativo. A sensação é de que algumas coisas não chegam perto do potencial completo do filme que explora o Ceará de maneira tímida. Mas tá bom. Transversais é daqueles filmes que emocionam só de saber que existem. É resistência, é cinema-verdade. É cinema político.


0 comentário