top of page
Buscar
  • Foto do escritorAmilton Pinheiro

In-Edit comemora 15 anos entre canções e atitudes


Filme  do In-Edit 2023

Uma história contada pelo diretor artístico do Festival Internacional de Documentários Musical, o In-Edit Brasil, Marcelo Aliche, que também assina a curadoria dos filmes estrangeiros, traduz as dificuldades que foi montar a 15a edição comemorativa do maior evento cinematográfico da América Latina.


Aliche estava participando do International Documentary Festival Amsterdam (IDFA), considerado o maior festival de documentário do mundo, em novembro de 2022, quando viu a primeira exibição fora dos Estados Unidos do filme Personality Crisis: One Night Only, sobre a lenda do glam rock dos anos 1970 , David Johansen, vocalista da banda New York Dolls, dirigido por ninguém menos que Martin Scorsese e codirigido por David Tedeschi. “Quando vi esse filme, pensei logo em trazê-lo para o In-Edit deste ano, mas as negociações não foram fáceis, fechamos a participação do filme praticamente 15 dias atrás, foi um trabalho do cão”, explica Aliche para o Esquina por videochamada.


O filme de Scorsese de Tadeschi é uma das “cerejas do bolo”, segundo nos conta Aliche, da 15a edição do In-Edit. Além disso, o festival terá outros filmes internacionais; a mostra competitiva de longas nacional, que trará oito títulos; uma mostra teen de filmes que fizeram a cabeça da juventude em épocas distintas; além das sessões de abertura, nesta quarta, 14, no Cinesesc, com o documentário Chic Show, de Emílio Domingos e Felipe Guintini, e de encerramento, 25, na Cinemateca Brasileira, com Ovelha Negra, de 2007, que o diretor Roberto de Oliveira fez em três partes para televisão sobre o universo musical e de vida de Rita Lee (1947-2023).


“Queríamos trazer os três filmes que ele fez em cima de canções de Rita Lee, mas não foi possível por conta de questões contratuais, o que importa é que vamos prestar uma merecida homenagem a Rita Lee que todos nós amamos. Talvez teremos uma banda tocando as músicas dela antes e depois da exibição do filme na Cinemateca Brasileira”, revela Aliche.


Uma edição comemorativa recheada de atrações


O In-Edit Brasil nasceu em 2009, na esteira do In-Edit de Barcelona, na Espanha, que fez sua primeira edição em 2002. Assim como o similar de Barcelona, o In-Edit Brasil foca seus filmes em documentários musicais nas suas principais mostras, abrindo espaços para longas ficcionais em sessões especiais, como as que farão parte este ano da Mostra Teen, dedicada a filmes que fizeram a cabeça da juventude em algumas décadas, com filmes como: Prisioneiro do Rock`n`Roll (Jailhouse Rock), de Richard Thorpe (1958), com o Rei do Rock, Elvis Presley; Alvorada da Alegria (Reveille With Beverly), de Charles Barton (1943), trazendo o astro Frank Sinatra; Roberto Carlos em Ritmo de Aventura (1967), um dos três filmes que o diretor Roberto Farias fez com o nosso Rei, Roberto Carlos, entre outros. “São filmes que todos nós guardamos da nossa juventude, serão sessões da memória afetiva e que o público certamente se emocionará”, espera Aliche.

Filme  do In-Edit 2023 na Mostra Teen

Voltando às “cerejas do bolo”, que Aliche preparou para esta edição, o In-Edit fará uma homenagem ao diretor e produtor canadense, Ron Mann, que entre outros filmes, fez um dos mais importantes sobre o Jazz, Imagine the Sound (1981), além de exibir outras produções do Mann. Outro filme muito aguardado pelos fãs de Pink Floyd é o documentário Have Got It Yet? The Story of Syd Barrettt and Pink Floyd, de Roddy Bagawa e Storm Thorgerson, sobre um dos fundadores da maior banda psicodélica e progressista do mundo, que nos deixou em 2006, com depoimentos dos membros da lendária banda, Roger Waters, David Gilmour, Nick Mason e Richard Wright.


Como citamos no início da matéria, o festival abre hoje no Cinesesc, às 20h30, com Chic Show, de Emílio Domingos e Felipe Guintini, sobre um dos mais importantes bailes de São Paulo entre os anos de 1970 e 1980, que realizava uma verdadeira experiência social, cultural e política, para quem frequentava suas instalações e prestigiava e se deleitava com apresentações de artistas da música nacional e internacional, como: Tim Maia, Sandra de Sá, Gilberto Gil, Djavan, James Brown, Betty Wright, entre outros, um oásis para a libertação, a comunhão e a conscientização em pleno anos do desbunde dos anos 1970, com uma ditadura assassina no encalce, e o início da abertura política no País nos anos 1980.

Filme  do In-Edit 2023

Na mostra competitiva nacional, que tem curadoria de Maurício Gaia, Andréa Pasquini e Zé Antonio Algodoal, serão oito longas, alguns com a primeira exibição mundial, que trazem um panorama de gêneros e épocas distintas da música popular brasileira.


São filmes como Elis & Tom, Só Tinha de Ser com você, de Roberto de Oliveira e Tom Job Azulay, fruto do registro que a dupla de artistas realizou do álbum histórico de 1972 nos Estados Unidos.


Outros importantes artistas da música popular brasileira que ganham registros cinematográficos são o poeta, músico e cantor Fausto Fawcett, um dos mais originais performáticos e instigantes artistas que surgiram nos anos do rock nacional, 1980, que é revelado no belo Fausto Fawcett na Cabeça, de Victor Lopez, que foi o vencedor de melhor filme da última edição do Fest Aruanda em dezembro de 2022; a cantora Miúcha revelada em detalhes em Miúcha, A Voz da Bossa Nova, de Daniel Zarvos e Liliane Mutti; Heitor Villa Lobos, um dos expoentes da Semana de 22 e um dos mais consagrados e festejados artistas da música clássica no mundo, no filme Villa Lobos em Paris, de Alexandre Guerra e Marcelo Machado, sobre a passagem do artista pela Cidade da Luz logo após as vaias que recebeu na Semana de 22, e de que maneira isso influenciou sua música posteriormente.


Além dos filmes Frevo Michiles, de Helder Lopes, sobre um dos mais importantes compositores de frevo, Jota Michiles; Peixe Abissal, de Rafael Saar, que fala sobre o universo poético do escritor e compositor Luís Capucho; Famoudou Konaté – The King of Djembe, de André Piruka e Billy Konate, sobre o percussionista guineense Famoudou Konaté e sua turnê ao redor do mundo e sua aclamação como o Rei do Djembe e Terruá Pará, de Jorane Castro, “nos conduz a um profundo mergulho na diversidade da música amazônica”


Preocupação com o público no In-Edit


Diferente dos anos anteriores a pandemia de Covid-19, de 2020, o diretor artístico, Marcelo Aliche, espera que consiga levar público para lotar as salas e cinemas que irão exibir a programação completa da 15a edição do In-Edit Brasil.


Mesmo trazendo grandes atrações e filmes com apelo de público, Aliche sabe que o momento pós-pandemia da Covid-19 não é favorável para o setor exibidor tanto no Brasil como no resto do mundo. “No ano passado, com o público ainda usando máscaras, não bombamos nenhuma sessão, como fazíamos antes da pandemia, mesmo que algumas sessões a gente lotava. Trabalhamos com muito afinco este ano para trazer a melhor programação possível para esta edição comemorativa de 15 anos de existência, e torcemos para que o público compareça e consiga lotar não somente as sessões tão aguardadas e as principais, mas as outras sessões”, espera Aliche.


SERVIÇO


In-Edit Brasil - 15º Festival Internacional do Documentário Musical

De 14 a 25 de junho - São Paulo e Online

www.in-edit-brasil.com | @ineditbrasil

Salas do Festival - São Paulo (presencial)

CineSesc: Rua Augusta, 2075 - Cerqueira César.

Cinemateca Brasileira: Largo Senador Raul Cardoso, 207 - Vila Clementino.

Spcine Olido e Sala Olido: Av. São João, 473 - Centro.

Spcine Paulo Emílio (CCSP): Rua Vergueiro, 1000 - Paraíso.

Cine Cortina: Rua Araújo, 62 - República.

Associação Cultural Cecília: Rua Vitorino Carmilo, 449 - Santa Cecília.

Centro da Terra: Rua Piracuama, 19 - Perdizes.


Plataformas Online do Festival

Itaú Cultural Play: itauculturalplay.com.br

Spcine Play: spcineplay.com.br

Sesc Digital: sescsp.org.br/cinemaemcasa

In-Edit TV: inedit.tv.br

 
Autor do texto sobre o In-Edit 2023

0 comentário

Comments


bottom of page