• Matheus Mans

Novo ‘Planeta dos Macacos’ e Selton Mello chegam aos cinemas


Agosto está chegando com o pé direito no cinema. Não só Selton Mello desembarca com o seu belíssimo O Filme da Minha Vida, como a franquia de Planeta dos Macacos chega em seu terceiro e mais tenso filme. Além disso, o cinema estrangeiro e independente tem em seus representantes Saint Amour, com Gérard Depardieu; e o emocionante Os Meninos que Enganavam Nazistas.

O Esquina, então, reuniu as principais estreias da semana e consolidou, em cada um dos filmes, o que a imprensa fala de melhor -- e, é claro, também o que fala de pior. Clicando nos títulos, você ainda consegue ler mais sobre o filme no site do IMDB e, em todas frases destacadas, você é redirecionado para as críticas completas do Esquina e de outros sites, jornais e revistas.

O Filme da Minha Vida. Terceiro longa-metragem dirigido por Selton Mello, O Filme da Minha Vida conta a história de um rapaz que tenta amadurecer após o sumiço de seu pai no mundo. Com lindos planos e história que emociona, o filme é delicado, sutil e muito bem produzido. “O longa deve ser o candidato a ocupar o posto de melhor filme da vida de muitas pessoas”, diz a crítica do Esquina.

Planeta dos Macacos: A Guerra. Terceiro filme da nova franquia sobre a guerra entre os humanos e símios, Planeta dos Macacos: A Guerra mostra o combate no seu auge. Neste momento, é matar para sobreviver. O resultado está sendo recebido de modo misto pela imprensa. O New York Times afirma que “há uma cena que é mais vívida e assustadora do que qualquer coisa que eu tenha visto em um blockbuster nos últimos tempos”. Já o Critikat afirma que o filme se estende demais: A Guerra retorna, e insiste até demais, na temática da punição divina.

Os Meninos que Enganavam Nazistas. O título é sugestivo, mas vamos explicar: o filme mostra dois irmãos que fogem da França para escapar das tropas nazistas. Parece bonito, mas a imprensa não está se mostrando tão entusiasmada: o Papo de Cinema acha que o longa tenta “cobrir uma grande quantidade de eventos em curto tempo, sem com isso cuidar do ritmo narrativo” e o Almanaque Virtual afirma que o filme escorrega na pieguice, mesmo com uma boa realização.

Saint Amour. Filme francês da semana, mostra Gérard Depardieu tentando se reaproximar do filho durante o tempo livre em uma feira de negócios agrícolas em Paris. A recepção da imprensa está mista. O The Guardian diz que o filme é bobo, mas muito engraçado. Já o The Hollywood Reporter diz que o filme é "deliberadamente infantil, surreal, caótico e ocasionalmente divertido."

#Estreias #Cinema #Filmes