Buscar
  • Matheus Mans

Resenha: 'Complexo de Vira-Lata' é livro teórico sobre situação demasiadamente real


O termo "complexo de vira-lata" foi cunhado por Nelson Rodrigues quando ele foi se referir ao tipicamente brasileiro sentimento de inferioridade. Nada feito no Brasil é bom, nada que vem da terra do Pau-Brasil é válido. Estados Unidos, Europa? Superiores. É um complexo que aflige o País e que não parece ter solução. E é justamente sobre esse tema, tão complicado e espinhoso, que se debruça o interessante livro Complexo de Vira-Lata: Análise da Humilhação Brasileira.


Escrita por Marcia Tiburi e editada pela Civilização Brasileira, a obra é um mergulho nas origens de tal complexo, muito antes de Nelson Rodrigues pensar ou até mesmo existir. Afinal, para entender melhor de onde vem esse senso de inferioridade e até mesmo de humilhação entre o próprio povo, Complexo de Vira-Lata recorre ao processo colonizador das Américas e compreende, de maneira bastante técnica, o que se passou por aqui e em terras vizinhas.


Com isso, ao longo de mais de 190 páginas, contando as referências, vamos mergulhando melhor nessa mácula brasileira e em como a tal "descoberta das Américas" nos afeta como sociedade até hoje. Tiburi, afinal, não nega a grande necessidade por referências, citações e afins, trazendo uma grande bagagem teórica em tão poucas páginas. Complexo de Vira-Lata, mais do que analisar um sentimento brasileiro, analisa a sociedade como um todo.


Partindo disso, podemos dizer que o livro cumpre com o que promete. Quando viramos a última folha da obra, bem diagramada e editada pela Civilização Brasileira, sentimos que ganhamos algo com o tempo que passamos lendo. Dá para compreender melhor certos comportamentos, hábitos e emoções que podemos encontrar em qualquer esquina do Brasil -- em São Paulo, com comunidades de descendentes europeus, então, é fichinha. É, assim, um estudo social.


Mas, no final, não dá para deixar passar aquela provocação: para quem é feito esse livro? É louvável o trabalho de Tiburi em juntar tanta filosofia -- boa parte dela complicadíssima, vale dizer -- e condensá-la em um só livro. Só que Complexo de Vira-Lata, por melhor que seja, vai ficar restrito ao que já possuem uma compreensão do que é aquilo. Vai ficar nas prateleiras de Higienópolis, de Copacabana. Quando uma mensagem assim vai chegar na base da sociedade?


Olavo de Carvalho, guru teórico de Jair Bolsonaro e sua malta, conseguiu expandir sua atuação fazendo, justamente, literatura assim para as bases. Complexo de Vira-Lata não chega tão longe, infelizmente. Falta essa linguagem mais acessível, em tom menos cansativo, para enfim compreendermos e alcançarmos mais pessoas -- não só como esquerda, mas como um povo razoável e quer entender a si próprio. Bom livro, mas fica essa ressalva: para quem?


0 comentário