Buscar
  • Matheus Mans

Resenha: 'Tormenta de Fogo' é mais do mesmo que diverte


O livro Coração de Aço, que abriu os trabalhos para a divertida franquia de super-heróis de Brandon Sanderson, surpreendeu com uma narrativa alegre, leve e extremamente bem escrita -- não que isso seja uma surpresa completa, claro, já que o autor é responsável pela excepcional Elantris. Foi com entusiasmo, então, que comecei a leitura de Tormenta de Fogo, que dá continuidade aos acontecimentos do primeiro livro e amplia o universo dos heróis-vilões.

A história é como esperado: depois de derrotar Coração de Aço em Nova Chicago, o time dos executores partem para o local onde era conhecido como Nova York. Lá, Realeza -- uma épica, como são chamadas as pessoas com superpoderes -- governa a cidade com rigor e benevolência. No entanto, algumas coisas chamam a atenção de Prof, líder dos executores, e o obrigam a criar uma estratégia para derrubá-la. Só que a partir daí, surpresas começam a aparecer.

A narrativa é tão leve e divertida quanto no primeiro. Brandon Sanderson consegue criar bons momentos com a maioria dos personagens, mas principalmente no relacionamento entre David e Megan -- fazia tempo que eu não torcia tanto para um casal ficar junto. Além disso, é divertido ver o universo de superpoderes que Sanderson consegue criar. Apesar de em menos intensidade, a diversidade de poderes especiais e épicos é inventivo e, na maioria das vezes, funcional.

No entanto, é inegável que a trama é muito parecida com a de Coração de Aço. Ainda que David e Megan tenham sido muito bem desenvolvidos e estejam bem diferentes do outro livro, os acontecimentos que movem os personagens são os mesmos. Mudaram apenas o local e o épico. De resto, as coisas continuam iguais e apenas alguns personagens são inseridos na narrativa -- Mizzy é muito chata e de pouca funcionalidade, assim como Val e Gegê.

Das outras mudanças, só Prof que consegue ficar ainda mais insuportável. Difícil compreender algumas de suas decisões e, ainda mais, apoiá-las. Claramente, Brandon Sanderson queria causar esse sentimento e conseguiu. David e Megan, como já dito, continuam ótimos.

O final da história é que salva o livro de naufragar e pode-se dizer que, ainda sendo mais do mesmo, Tormenta de Fogo continua divertido e emocionante. Alguns acontecimentos chocam e surpreendem, outros causam uma emoção genuína. E é muito bom ver a luta de David contra épicos. Continua sendo uma narrativa vertiginosa e que faz as páginas voarem. Mas Brandon Sanderson não pode continuar na mesma fórmula. É torcer para o próximo livro ganhar mais camadas e desenvolvimento. Senão, parece que é uma história de fórmula única.