Buscar
  • Matheus Mans

Resenha: 'Uagadu' é importante resgate da mitologia africana


O ser humano surgiu na África e foi lá que começou seu desenvolvimento. Tudo bem que depois a agricultura e a sociedade em si teve avanços mais significativos na área que hoje abrange a Europa e parte da Ásia. No entanto, a África é o berço da civilização. É de lá que viemos. Por isso, é estranho quando paramos para pensar e notamos que pouco sabemos sobre história africana.


Pior: não sabemos sobre sua cultura, sua mitologia, seus folclores -- enquanto, por outro lado, sabemos até mesmo de detalhes da cultura asiática, europeia e, é claro, norte-americana. Por isso é tão importante o trabalho de resgate histórico que faz Uagadu: Uma Odisseia Africana, quatro contos colhidos e traduzidos para o português por Marco Haurélio e Arlene Holanda.


São quatro históricas heroicas, numa mistura de odisseias gregas com o cordel brasileiro, que falam sobre o mito do homem africano misturado com a própria história folclórica daquela região. Essencialmente simples, apoiada em arquétipos universais que ajudaram a humanidade a contar suas histórias, e que aqui ganham tons de raízes africanas, suas histórias, sua gente.

Não espere, assim, encontrar histórias complexas e surpreendentes. Temos, por exemplo, o conto shakespeariano A Canção de Gassire, sobre um homem sedento por poder. Ainda há a interessante O Tabele Mágico, com forte conexão com a história bíblica de Esaú e Jacó, sobre irmãos brigando por poder. Há ainda uma trama tipicamente grega em A Grande Serpente Bida.


A história mais forte, porém, é a que fecha Uagadu: Uma Odisseia Africana: é a potente jornada de Samba Gana. Numa mistura de elementos da mitologia europeia com a típica odisseia grega, conhecemos a história de um herói que vai até o inferno (quase que literalmente) para conquistar sua amada. Típica jornada dos livros e contos antigos, que fica marcada na memória.


É interessante notar também que Uagadu -- que tem esse título em referência à uma terra mitológica africana, mas com raízes em histórias reais -- é um livro que, assim como os melhores folclores, serve para todos. Crianças podem compreender essa história, mergulhando na cultura africano, enquanto os mais velhos também têm espaço de sobre para a imaginação.


Uagadu: Uma Odisseia Africana, assim, é um livro simples e pequeno, de poucas páginas, para ler de uma vez. No entanto, é daquelas obras que ficam na nossa cabeça e que servem como alicerce desse mergulho que nos falta na história, cultura e mitologia da África. Assim como sabemos de jornadas de heróis europeus e cristãos, chegou a hora de retornarmos ao berço.


0 comentário