Elo Company anuncia o lançamento do Selo BLACK

04/11/2019

Jeferson De é um dos diretores com projeto já selecionado para o Selo BLACK, da Elo

 

 

Após os bons resultados do Selo ELAS, a produtora e distribuidora Elo Company deu início a mais um projeto para atender a diversidade da audiência nacional. Agora é a vez do Selo BLACK, desenvolvido para incentivar produções audiovisuais brasileiras, de alcance nacional e internacional, dirigidas, produzidas e atuadas por pessoas negras.

 

"Os diretores e produtores negros não estão em grandes companhias. Se isso não existe nessa escala, nesse topo de segmento, acaba refletindo em outras áreas", afirma Gabriela Souza, Gerente de Projetos da ELO Company. "Queremos potencializar a produção desses filmes. Esses outros olhares devem ser retratados na nossa cultura".

 

Assim, o Selo BLACK deverá atuar principalmente na formação de profissionais negros e, além disso, como incubadora de projetos de realizadores e produtores negros.

 

Segundo Gabriela Souza, este é um movimento global. "Temos outros filmes surgindo com essa pegada, como o Pantera Negra", diz ela, citando o filme da Marvel. "Produtores negros e brancos, inclusive, olham para essa diversidade e alcançam um público maior com as suas produções. Isso é um reflexo de que existe uma demanda represada".

 

Participação no Selo BLACK

 

Para contribuir com o Selo BLACK, a Elo Company irá convidar profissionais que imprimem o recorte racial em seus trabalhos e vivência social,. Assim, eles irão atuar como consultores, dando feedbacks construtivos à obra -- seja lendo o roteiro ou assistindo o primeiro corte . Além disso, a Elo trabalhará na formação de profissionais. 

 

Já são quatro títulos selecionados para o projeto até o momento. Narciso Rap, do diretor Jefferson De; Menina Mulher da Pele Preta, de Renato Candido; Na Rédea Curta, de Glenda Nicacio e Ary Rosa; e É Tempo de Amoras, de Anahí Borges. Este último, aliás,   também faz parte do Selo ELAS, sendo uma união entre as duas propostas da empresa.

 

"A gente tem a intenção de fazer esse burburinho. Queremos que outras parceiras olhem para isso", diz Gabriela Souza, da Elo Company. "Toda a empresa está focada nesse projeto. É importante trabalhar fora do eixo. E agora, em novembro, teremos exibição de filmes já lançados para promover o selo: História de um SonhoNó do DiaboMussum

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Publicidade