Buscar
  • Matheus Mans

5 filmes para conhecer melhor a obra de Martin Scorsese


Martin Scorsese é um dos mais completos cineastas da história do cinema. É inegável. Um gênio que, com suas sobrancelhas grossas e icônicas, marca gerações com filmes densos, reflexivos e nem um pouco fáceis de digerir. É um diretor que deve ter a sua obra conhecida e admirada pelos amantes da sétima arte.

Tendo isso em mente, o Esquina compilou os cinco filmes essenciais para conhecer o cineasta, dando início a uma série de matérias para entender melhor os grandes gênios do cinema:

A Invenção de Hugo Cabret

O mais leve de seus filmes – e um dos mais poéticos. Narra a história de Hugo (Asa Butterfield), um garoto órfão que vive sozinho numa estação de trem e que busca terminar o conserto de um autômato iniciado por seu pai.

O filme, com uma fotografia delicada e, acima de tudo, extremamente detalhista, é uma ode ao cinema. Com um belíssimo roteiro e atuações magníficas de Ben Kingsley, Chloë Grace Moretz e Sacha Baron Cohen, torna-se a peça inicial da filmografia de Scorsese: é leve, divertido e um de seus filmes mais reconhecidos, recebendo 11 indicações ao Oscar (e faturando cinco!).

Os Bons Companheiros

Talvez seja o filme mais bem avaliado de Scorsese, possuindo nota 8,7 no site IMDb. Ele conta a história de um jovem norte-americano (Ray Liotta) que sempre sonhou em fazer parte da máfia italiana. E assim, por meio do garoto, o filme acompanha acontecimentos da máfia nos subúrbios de Nova York, tendo James “Jimmy” Conway (Robert De Niro) como um dos grandes chefões.

Filme essencial pelo ótimo roteiro, pelos geniais lances de câmera, pela atuação magnífica de Robert De Niro, que encarna um mafioso como ninguém, e por marcar a entrada de Scorsese nas histórias de máfia. Indispensável.

Os Infiltrados

Com um elenco estrelar (Jack Nicholson, Leonardo DiCaprio, Alec Baldwin, Matt Damon, Martin Sheen e Mark Wahlberg), o longa conta a história de dois policiais (DiCaprio e Damon) que se infiltram numa família mafiosa de Nova York, comandada por Costello (Nicholson). Só que as coisas pioram quando a dupla descobre que há um espião entre eles.

O filme talvez tenha as mais impressionantes atuações da filmografia de Scorsese (excetuando as de De Niro, claro). Fora isso, o roteiro e a direção são primorosos -- não à toa levou o Oscar de Melhor Diretor, tirando a fama de Scorsese de “injustiçado do Oscar”. Uma obra prima.

O Lobo de Wall Street

Scorsese nunca foi conhecido por fazer filmes leves. Quase todos possuem uma carga reflexiva muito grande, acompanhada de cenas chocantes. Só que O Lobo de Wall Street quebra todas as barreiras possíveis. Drogas e sexo são usados a todo o momento, sem limite algum. E, assim, o diretor consegue compor um ambiente extremamente realístico da vida de Jordan Belfort (Leonardo DiCaprio), um corretor da bolsa de Wall Street.

Forte, realista e com atuações impecáveis (de novo), o filme é necessário para conhecer a faceta mais intensa e provocativa do diretor.

Touro Indomável

E, para encerrar, o filme mais comovente: Touro Indomável. Caso algum dia você tenha dúvidas sobre a qualidade dramática de Robert De Niro, basta assistir esse filme, que conta a história de LaMotta (De Niro), um boxeador que, ao mesmo passo que sobe na carreira, se degrada na vida pessoal.

Mais uma obra prima da parceria De Niro e Scorsese, e que possui perfeição em todos seus aspectos: roteiro, direção, fotografia, atuação. E talvez seja um dos filmes com final mais intenso e impactante.