• Matheus Mans

3 motivos para ver -- e 2 pra não ver -- 'Jovens Titãs em Ação! Nos Cinemas'


A DC está numa má fase nos cinemas e todo mundo sabe disso. No entanto, não dá pra dizer que a empresa tem errado em suas animações. Prata da casa, os desenhos inspirados nos heróis da marca continuam atraindo uma legião de fãs de todas idades, gêneros e classes sociais. Um deles é Jovens Titãs em Ação!, programa que passou por grande reformulação e hoje é bem mais focado no público infantil do Cartoon Network.

Agora, os jovens heróis Robin, Ravena, Estelar, Mutano e Ciclope ganham os cinemas com um longa-metragem que tenta levar a vitalidade dos desenhos para a tela grande. Mas será que deu certo? Veja, então, a nossa lista de três motivos para ver -- e dois pra não ver -- Jovens Titãs em Ação! Nos Cinemas, que estreia nesta quinta-feira, 30.

1) Personagens cativantes

Não há dúvidas: o quinteto que compõe os Jovens Titãs é absurdamente encantador e cativante. Ainda que eles sejam heróis e tenham poderes, eles são extremamente reais e humanos. Ainda que essa nova versão infantilizada os deixem um pouco distantes da realidade, como era antes, é difícil não sentir empatia por eles. Ah, e o vilão Slade continua sendo extremamente magnético, divertido e, dentro do possível, aterrorizante.

2) Boas referências

A melhor coisa de Jovens Titãs em Ação! Nos Cinemas, sem dúvidas, são as referências inteligentes e certeiras. Além de não se levar a sério e fazer piada com Martha, Lanterna Verde e por aí vai, o longa-metragem os pequenos heróis também não tem medo de fazer referências à Harry Potter, Tartarugas Ninja e até Marvel -- tem uma participação especial, aliás, extremamente inusitada. É o atrativo da produção para os mais velhos.

3) Ótima dublagem

Outra coisa que não é segredo pra ninguém é que a dublagem brasileira é de ponta -- ainda que muitos falem o contrário. E um exemplo é Jovens Titãs em Ação! Nos Cinemas, que conta com grandes nomes da dublagem nacional à cargo dos queridos personagens. Então, não precisa ficar caçando sessões legendadas por aí. A opção dublada, por mais que você torça o nariz, é extremamente agradável e muito natural.

4) Personagens subaproveitados

Agora, vamos aos problemas: ainda que o quinteto principal tenha um magnetismo natural, alguns dos personagens são subaproveitados. A ideia de uma trama que mostra os Jovens Titãs em busca de fazer o próprio filme -- quase uma metalinguagem -- é inteligente, mas priorizar o Robin é um erro absurdo. Ele não tem o mesmo carisma que Mutano e Ravena, por exemplo, que são deixados em segundo plano. Aliás, o herói que se transforma em animais possui uma dúzia de diálogos -- e olha lá. É uma pena.

5) História muito infantil

Como ressaltado, a história é muito boa. Quase uma metalinguagem. Mas a nova versão do desenho é muito infantil, apelando para piadas de cocô, pum e por aí vai. Há, também, momentos de dança e música que não fazem sentido algum para a turma mais velha, que deve ir esperando uma história parecida com o desenho de antigamente. O jeito, então, é deixar a criançada entrar na onda e se agarrar fortemente às referências.

#Lista #Cinema #Crítica #Filme #Animação