• Matheus Mans

‘A Torre Negra’ e novo filme sobre Bozo chegam aos cinemas


Na penúltima semana do mês de agosto, lançamentos diversos esquentam os cinemas. O destaque, desta vez, fica para o ótimo filme nacional Bingo -- O Rei das Manhãs, que conta a história do homem por trás do palhaço Bozo. Além disso, a adaptação da série de livros A Torre Negra, de Stephen King, e um filme emocionante -- com ares de Capitão Fantástico -- também chegam às salas brasileiras.

O Esquina, então, reuniu as principais estreias da semana e consolidou, em cada um dos filmes, o que a imprensa fala de melhor -- e, é claro, também o que fala de pior. Clicando nos títulos, você ainda consegue ler mais sobre o filme no site do IMDB e, em todas frases destacadas, você é redirecionado para as críticas completas do Esquina e de outros sites, jornais e revistas.

A Torre Negra

Filme adaptado da série de livros criada por Stephen King, A Torre Negra conta a história do pistoleiro Roland Deschain, que percorre o mundo em busca da tal Torre Negra, um prédio mágico prestes a sumir. No meio do caminho, porém, começa a intensa perseguição com o Homem de Preto. A crítica, no entanto, não aprovou o resultado do filme de Nikolaj Arcel. “É um filme que parece ter sido feito às pressas, sem dar coerência narrativa à história”, disse Tiago Belotti, no canal Meus 2 Centavos.

Bingo -- O Rei das Manhãs

Durante anos, o palhaço Bozo comandou as manhãs do SBT com um programa para crianças. Era alegria pura. No entanto, poucos sabiam da história por trás de Arlindo Barreto, viciado em drogas e em sexo. Agora, neste novo filme, o Bozo vira Bingo. E Arlindo é Vladimir Brichta, que se entrega no papel de sua vida. A crítica tem aplaudido o filme por onde passa: “Bingo se consolida como um dos melhores filmes nacionais dos últimos tempos, além de evidenciar o nome de Daniel Rezende como um promissor diretor”, disse o CineMundo.

O Castelo de Vidro

Filmes com ares de Capitão Fantástico, conta a história de uma família que é regida por um pai que não se preocupa com dinheiro, emprego, estabilidade. Ele quer apenas viver o momento. Com isso, vê a sua família se dividir e enfrentar problemas. Com Brie Larson e Woody Harrelson. O Esquina já viu e aprovou o resultado: “apesar de faltar poesia, filme conta uma história dura, dramática e real sobre uma família que tenta ser disfuncional.”

Bye Bye Alemanha

Filme que abriu o Festival de Cinema Judaico em São Paulo, Bye Bye Alemanha conta a história de um grupo de amigos judeus que tenta sair da Alemanha após o fim da Segunda Guerra Mundial. A crítica está dividida. O AdoroCinema disse que o filme é uma “fábula insossa e inofensiva.” Enquanto isso, o Esquina gostou do resultado. “Ainda que tenha problemas, Bye Bye Alemanha dá um recorte criativo para um tema cada vez mais batido nos cinemas.”

Últimos Dias em Havana

Dois amigos dividem casa em Havana, Cuba. Um deles, Diego, é portador de HIV. O outro, Miguel, é um lavador de pratos que sonha em morar nos EUA. Os dois, então, veem a amizade ser abalada quando o cubano finalmente ganha o visto para se mudar. A recepção está sendo positiva. “É um filme delicado e que mostra todo o potencial do cinema latino-americano”, afirma o Esquina. Para a revista Preview, toda a simplicidade do filme “não é sinônimo de inocência”.

#Estreias #Cinema #Filmes