• Matheus Mans

CCXP 2018: 'Como Treinar o Seu Dragão 3' promete mais emoção


Integrante da programação oficial da CCXP neste domingo, 9, o painel de Como Treinar o Seu Dragão 3 conseguiu ser a síntese completa do que é a franquia de animação: leve, colorido, singelo e emocionante. Contando com a presença do diretor Dean DeBlois, a apresentação mostrou vários trechos inéditos -- e emotivos -- do filme que deve estrear em 2019, além de dar algumas pequenas mostras e detalhes do que o cineasta espera com a produção. "Aqui, o Soluço precisa aprender a se virar sem o Banguela. É um belo momento em que o universo criado se expande, vai além", explicou o diretor DeBlois.

Nas cenas exibidas, ficou claro o tom emocional e de despedida do terceiro filme da franquia, além de uma maior ousadia na criação do mundo viking conhecido até então. Há mais detalhes visuais e gráficos, que ressaltam o poder imagético do longa-metragem, e a narrativa parece mais complexa. Nela, afinal, Soluço parece com idade um pouco mais avançada e Banguela, enquanto isso, finalmente encontra um par de sua espécie. É o começo de uma nova relação entre o protagonista e seu dragão de estimação, que parecem seguir caminhos diferentes, mas ainda um pouco conectados.

"Como Treinar o Seu Dragão é uma franquia baseada em livros, mas nossa história tem mais fantasia, mais mitologia. Tive liberdade criativa na hora de contar a história dos humanos que inicialmente enfrentam dragões e, depois, passam a viver em harmonia", disse o cineasta, diretor dos outros dois filmes da franquia e pelo clássico inesgotável Lilo & Stitch. "Agora, isso possibilita que a gente crie novos mundos, novas histórias, novas possibilidades. Nós agora podemos expandir os limites iniciais de tudo."

Os efeitos especiais, que avançaram muito nesses oito anos que separam o primeiro do terceiro filme, também contribuíram para o avanço do universo de Como Treinar o Seu Dragão. "A tecnologia melhora mais a cada filme", disse DeBlois, que acabou de encerrar as gravações do filme sobre dragões. "A gente se baseou no que podíamos para tornar tudo real. Pássaros, pterodáctilos. No segundo filme, tivemos mais liberdade tecnológica. Os animadores podiam manipular os personagens, esticá-los, trabalhar em suas formas. Agora, no terceiro, pudemos cuidar de pequenos detalhes do ambiente."

Logo depois de falar sobre esse aspecto, o cineasta apresentou um trecho inédito do filme quando Soluço conhece, pela primeira vez, uma espécie de santuário dos dragões. É colorido, é bem feito, é lindamente imagético. DeBlois, antes dessa apresentação final, disse que torcia para que as pessoas ficassem de boca aberta com o que fosse visto. Sem dúvidas, com o trecho selecionado, ele conseguiu. E, em alguns casos dos 3,5 mil presentes, algo mais: algumas lágrimas no rosto. Afinal, Como Treinar o Seu Dragão é um filme que conseguiu evoluir, crescer, surpreender. E mostra que continuará assim em 2019.

#Cinema #Coberturaespecial #Matéria #Reportagem #CCXP2018