• Amilton Pinheiro *

Confira a cobertura completa do Festival de Brasília 2017


O Esquina está realizando a sua primeira cobertura de um festival de cinema nacional! Para isso, enviamos o repórter cultural e crítico Amilton Pinheiro para Brasília, onde ele está acompanhando todas mostras, debates e eventos que acontecem no Festival de Brasília, um dos mais importes e mais políticos festivais do País.

Abaixo, você pode conferir tudo que já aconteceu no Festival. É só clicar nos títulos das matérias abaixo:

Brilho parcial na noite de abertura: A 50ª do Festival de Brasília começou acertando nas homenagens e derrapando no filme de abertura, o sem alma Não Devore Meu Coração

Filmes luminares no início da mostra competitiva: Na primeira noite da mostra competitiva, Festival imprime a sua força com a exibição o longa Vazante e o documentário Música Para Quando as Luzes se Apagam

Corpos políticos e territoriais em 'Pendular' e 'Inocentes': Diretora Julia Murat fala de afetos e de relações amorosas em Pendular, enquanto Inocentes, de Douglas Soares, contempla o voyeurismo e o desejo pelas lentes da obra de Alair Gomes

'Café com Canela' e o cinema de empatia: Café com Canela, de dois realizadores do Recôncavo da Bahia, é um retrato amoroso da força das mulheres negras da região, mas carece de acabamento e unidade

Filmes misturam memórias e política nacional: Os filmes Construindo Pontes e Mamata falam dos descaminhos políticos de ontem e de hoje, sem perder a incredulidade e a ironia do humor

Filmes sintetizam 'espírito' do festival: Festival de Brasília tem pautado a questão racial em detrimento de uma discussão sobre linguagem cinematográfica

Filme de Adirley Queirós decepciona público: Era Uma Vez Brasília é um fiapo de história contada de forma equivocada e sem expressão

Confira todos os vencedores​ do Festival de Brasília: Arábia ganha como melhor filme, mas júri premia injustamente Adirley Queirós na direção

#FestivaldeBrasília #Festival #Coberturaespecial