Buscar
  • Matheus Mans

Crítica: '10 Horas para o Natal' é divertida comédia natalina brasileira


Na última semana, fez barulho a comédia Tudo Bem no Natal que Vem, estrelada por Leandro Hassum e exibida com exclusividade na Netflix. Divertido, mas erra a mão. A produção brasileira que deveria estar atraindo essa atenção toda é, na verdade, essa gostosa comédia 10 Horas para o Natal, dirigida por Cris D'Amato (S.O.S. Mulheres ao Mar) e que estreia nesta quinta, 10.


Protagonizado por Luís Lobianco (Carlinhos & Carlão) e por Giulia Benite (Turma da Mônica: Laços), o longa-metragem conta a história de uma família que, pela primeira vez, não vai passar o Natal junta. Afinal, os país se separaram e agora cada um fica num canto. Dessa forma, os três filhos do casal (Benite, Pedro Miranda e Lorena Queiroz) tentam "salvar o Natal em família".


É uma jornada um tanto quanto irreal, mas gostosa de assistir. Falta um pouco da brasilidade de Tudo Bem no Natal que Vem, único ponto elogiável do longa-metragem. Aqui, Cris D'Amato chega ao cúmulo de fazer com que o Natal brasileiro se passe em uma época fria, com todos de casacos e coisas do tipo, para deixar mais a cara das produções americanas desse subgênero.

Não precisava. Teria sido mais interessante se D'Amato, ao lado das roteiristas Bia Crespo e Flávia Guimarães, tivesse apostado mais na brasilidade da data. Isso fica mais restrito a uma cena em específico, gravada com provável dificuldade na 25 de Março lotada. Teria ganho mais pontos se o Natal brasileiro tivesse uma marca mais registrada em 10 Horas para o Natal.


No entanto, como dito, não é um filme ruim. Pelo contrário. Há uma leveza gostosa de assistir no longa-metragem, que faz piadas simples e ligeiras para toda a família — muito do mérito está com Luís Lobianco, cada vez com mais presença na tela. O trio de crianças, enquanto isso, acaba deixando toda a carga dramática para Giulia Benite. E D'Amato exagera nos gritos da Lorena...


Dessa forma, 10 Horas para o Natal é um daqueles filmes despretensiosos que todos gostam de assistir nessa época do ano. Há leveza, delicadeza e boas piadas — além da falta de ritmo aqui e ali, além dessa falta de brasilidade que incomoda. Mas o saldo é positivo. Quem estiver entrando no clima das festas de fim de ano, esta produção brasileira pode ser um bom ponto de partida.

#Crítica #Cinema #Comédia #Nacional