Buscar
  • Matheus Mans

Crítica: 'A Irmã do Noivo', do Telecine, é drama com cara de comédia romântica


É estranho como o filme A Irmã do Noivo parece uma daquelas comédias românticas do canal Hallmark. O pôster, a sinopse oficial, o trailer... No entanto, surpresa: esta produção, que chega ao Brasil com exclusividade no streaming do Telecine, é um drama adocicado sobre família, com toques de comédia. Dessa forma, por mais que tenha problemas, ainda consegue surpreender.


Mas, como sempre, vamos por partes. O longa-metragem conta a história de Audrey (Alicia Silverstone, sumida das grandes telas), mulher na casa dos 40 anos que está indo no casamento do irmão. Ela não conhece a cunhada, que está com o rapaz há pouco tempo. Por isso, o encontro da protagonista com a noiva do irmão é uma bomba. Elas não se bicam. Não funciona.


A partir daí, acompanhamos todo o desenrolar desse embate ao longo de cerca de 90 minutos. Há momentos realmente espirituosos, como o embate sobre o futuro da casa da família, assim como a falta de sensibilidade da cunhada sobre o quarto onde a protagonista vai dormir. São dramas reais, que dialogam com parte do público, e que reproduz com clareza desafios da vida.

No entanto, a diretora e roteirista Amy Miller Gross (da fraquíssima comédia Accommodations) não tende a voltar ao estilo Hallmark de sua produção. Há histórias que não se encaixam (como a subtrama sobre o arquiteto rival), algumas coisas ultrapassadas (toda a trama do aborto) e coisas que simplesmente não se resolvem, como as questões envolvendo a aparência de Audrey.


São complicações de roteiro que apenas atropelam o andamento do longa-metragem. A Irmã do Noivo funcionaria perfeitamente como um drama familiar, desse núcleo de pessoas que simplesmente não consegue se entender. Mas há uma força maior colocando pitadas de piadinhas ou romances sem sentido que não encaixam. O filme, no final, não encontra seu tom.


E esse é, enfim, o grande problema de A Irmã do Noivo. Quem busca uma comédia romântica, não vai gostar do drama exagerado. Quem quer um drama familiar, vai se incomodar com esse romance e a comédia que surgem aqui e ali. É um filme sem foco, sem rumo. Mas, ainda assim, tem seus valores, como a boa atuação de Silverstone. Uma pena, pois poderia ser interessante.

#Crítica #Cinema #Drama #Filme #Telecine

0 comentário