Buscar
  • Matheus Mans

Crítica: 'All My Puny Sorrows' é filme que exagera com erros de direção


Baseado em um livro best-seller, o drama familiar All My Puny Sorrows foi uma das atrações mais aguardadas do Festival de Toronto em 2021. E não era pra menos. Afinal, o longa-metragem conta uma história que não poderia estar mais em alta hoje em dia: a importância da saúde mental e como problemas nessa ordem podem afetar relacionamentos e a família.


Afinal, o longa-metragem tem uma história bem dura: duas irmãs (Alison Pill e Sarah Gadon) passam por momentos diferentes em suas vidas. Yoli (Pill) é escritora, mãe solo e está tendo um romance com um homem certinho (Michael Musi). Já Elf (Gadon) é uma pianista renomada, casada, mas que está passando por um momento ruim e tendo fortes pensamentos suicidas.


O público, assim, entra na história em um momento crucial. Elf tenta se matar e, com isso, Yoli vê toda a família cair em cima dos seus ombros. All My Puny Sorrows é, indiscutivelmente, um filme forte. Não só pela temática, mas por todo o seu desdobramento envolvendo luto, sofrimento familiar e até mesmo pela história forte de Elf, que dá seus motivos para o suicídio.

Sem dúvidas, há algo de bom enterrado ali no meio da narrativa, que fala sem receios sobre a saúde mental. No entanto, o diretor Michael McGowan (Em Busca de um Milagre) não nega suas raízes quando pesa demais nas emoções. O cineasta, que também assina o roteiro, não soube administrar duas personagens tão fortes e com características marcantes dentro da história.


Pill tem seus bons momentos (a cena no estacionamento é uma delas), mas é explosão demais. Emoção demais. São sucessivos os momentos de estouro emocional. Faz sentido dentro da personagem que nos é apresentada, mas faltou uma direção mais cuidadosa e assertiva. Já a personagem de Gadon é monótona, com pouca fluidez de emoções, se tornando fria demais.


Nenhum personagem real, em qualquer bom filme ou roteiro, é só explosão ou só silêncio. Ainda que McGowan tente fazer essa mistura em alguns momentos, como o embate entre as duas no hospital, pouco se extrai realmente disso. All My Puny Sorrows não é ruim, tem seus méritos. Mas poderia ter sido melhor conduzido. Faltou naturalidade e, acima de tudo, mais cuidado.


(*) Filme foi assistido durante cobertura especial do Festival de Toronto 2021.


0 comentário