• Matheus Mans

Crítica: 'Diante dos Meus Olhos' não chega a lugar algum

Atualizado: 12 de Dez de 2019


A premissa do documentário Diante dos Meus Olhos é sensacional: uma banda de rock, sucesso na cena musical da década de 1970, não deixou registros. Nada de discos, fitas ou o que quer que seja. O único jeito de retornar ao auge do grupo é por meio de gravações simples da própria banda, que fazia precários registros em shows e ensaios.

É a partir disso que o cineasta estreante André Felix reconstrói a narrativa ao redor da banda. São fragmentos que, aos poucos, vão formando a memória da banda Os Mamíferos. E, acima de tudo, sobre onde estão os músicos hoje em dia -- o que fazem? Como levam uma vida simples após anos de sucesso? As pessoas sabem quem são?

Assim, é preciso dizer que, logo de cara, Félix mostra que não vai cumprir com as expectativas ao redor de uma história tão interessante de resgate histórico. O ritmo do filme, letárgico e cansativo, fica dando voltas poetas ao redor do grupo de músicos para discutir assuntos como tempo, passado, presente e futuro. A banda que é bom, nada.

Dessa maneira, por mais que haja um apuro estético interessante, pouco é resgatado, de fato. As músicas e os registros compõem uma colcha de retalhos desinteressante e que não amarra as duas pontas temporais -- nem o passado glamouroso, nem o presente de vida comum, simples. Seria interessante fazer paralelos. Não uma metáfora exagerada.

Não adianta querer fugir do quadradismo dos documentários, afinal, e acabar acertando um campo de ideias vagas. Diante dos Meus Olhos promete muito e pouco entrega.

Se André Felix tivesse deixando uma beirada de convenção em seus desejos de surpreender e inovar, o documentário poderia figurar dentre os mais interessantes no gênero musical -- como o recente e bom Meu Tio e o Joelho de Porco. Não é preciso grandes ideias, sacadas. Uma boa história já basta. Aqui, ela existia. Mas foi descartada.

O que sobrou foi apenas um cuidado estético memorável. De resto, pouco fica na lembrança. Mais uma chance desperdiçada de Os Mamíferos recuperarem as memórias.

#Filme #Crítica #Documentário #Cinema