Buscar
  • Matheus Mans

Crítica: 'Me Tira da Mira' é filme com boas referências, mas com roteiro inchado


Se existe um filme de família, esse filme é Me Tira da Mira. Ainda que seja dirigido por Hsu Chien (do tenebroso Ninguém Entra, Ninguém Sai), Cléo (ex-Pires) está no comando da produção e é a protagonista Roberta. Além dela, estão no elenco Fábio Jr. (que faz uma participação especial como o próprio pai da personagem de Cléo) e o irmão Fiuk, que é o companheiro policial de Cléo.


Essa, talvez, seja a maior graça de Me Tira da Mira. As piadinhas com os títulos das músicas de Fábio Jr., as brincadeiras do trio isso em cena. Isso rende algumas risadinhas. Mas para por aí.


Me Tira da Mira é, essencialmente, um filme policial. Roberta (Cléo) está obcecada em descobrir o que há por trás da morte da atriz Antuérpia Fox (Vera Fisher). Assim, ao lado do parceiro (Fiuk), do ex-namorado (Sérgio Guizé) e da psicólogo (pois é, interpretada por Bruna Ciocca), ela tenta desbaratar uma rede de crime e, simultaneamente, se provar como uma policial competente.

Hsu Chien, como bom cinéfilo, coloca muitas referências na tela -- desde referências quase nominais, como Sr. e Sra. Smith, passando por linguagens do cinema de gênero. Isso em partes funciona e até causa certo humor, mas não é o bastante para sustentar o filme. O roteiro de Me Tira da Mira é tenebroso. Comete erros sucessivos, perdido ali na tentativa de criar e recriar.


A trama da psicóloga, por exemplo, chega a ser vergonhosa. Ainda que Ciocca se esforce, sua personagem é risível. Não faz qualquer sentido e, se tirar a história dela do filme, nada muda. O relacionamento de Roberta com o personagem de Guizé também é dispensável, com alguns momentos vergonhosos -- dá para se questionar o motivo do ator se submeter a coisas assim.


Não dá pra saber, no final, o que Me Tira da Mira quer. A ação é mal dirigida, com muitos problemas de lógica. Talvez pela falta de ensaio que Hsu admitiu durante a coletiva. A comédia não funciona para além do núcleo Cléo-Fiuk-Fábio. E, com isso, Me Tira da Mira se torna esquecível, banal. Escrevo esse filme uma semana depois que assisti. E quase não lembro mais.

 

0 comentário