Buscar
  • Matheus Mans

Crítica: 'Quem Matou María Marta?' é série criminal fraca da Netflix


Como sempre ressaltamos aqui no Esquina, a Netflix tem investido de maneira contínua em séries documentais sobre crimes. Algumas produções são realmente boas, como Don't Fuck With Cats ou Gênio Diabólico, e outras são realmente fracas e genéricas, como é o caso da série sobre Epstein. Infelizmente, porém, Quem Matou Maria Marta? faz parte desse último grupo.


Socióloga da alta sociedade, María Marta foi encontrada sem vida na banheira de casa, em 2002, na Argentina. A princípio, seu marido defendeu que ela tivesse sofrido um acidente doméstico, mas uma autópsia revelou que a mulher foi assassinada com tiros na cabeça. A partir disso, a produção levanta hipóteses sobre o crime, buscando responder à pergunta: quem matou Marta?


Assim como todas essas outras séries que citamos, Quem Matou María Marta? segue uma estética extremamente pasteurizada. Há entrevistas com uma fotografia óbvia com a família e amigos de María Marta, com fundos bem desfocados e poses aparentemente naturais. Enquanto isso, para acompanhar, imagens repetitivas que recriam o crime e mostra a casa do crime.

O grande problema desta série original da Netflix está na sua duração. São quatro episódios, com quase uma hora cada, totalizando cerca de quatro horas de duração para contar a história do assassinato da socióloga argentina. É muito tempo. É exagerado. Os relatos se repetem, histórias se amontoam. A sensação é de que tudo poderia ser contado em apenas uma hora.


Há uma sensação clara de decepção conforme Quem Matou María Marta? avança. Poucas coisas saem do lugar, realmente. Além disso, um certo mistério que surge, envolvendo o marido de María Marta, é óbvio sobre sua solução. Afinal, se tivesse seguido o caminho que a série fica martelando durante quase um episódio inteiro, ele não estaria ali, tranquilo, dando entrevista.


Também há um exagero de entrevistados. Além dos familiares de María Marta e o promotor, há jornalistas, filósofos, escritores e duas mulheres, mais no final, que nada acrescentam. A produção fica completamente desnorteada. A história fica ainda mais repetitiva. É desesperador como as coisas não saem do lugar. Teria sido melhor ser um episódio de Mistérios sem Solução.


Enfim, Quem Matou María Marta? não é uma série boa, figurando dentre as piores produções documentais sobre crime na Netflix. A direção não é propositiva, o mistério não é realmente explorado, não há novidades. Realmente, fica difícil compreender para qual público é direcionada essa produção. Não consigo vislumbrar alguém que ache a história interessante.

#Crítica #Série #Netflix #Resenha #TV #Televisão