• Matheus Mans

Nos bastidores de 'Compro Likes', leveza e diversão dão o tom do filme


Gritos e barulhos de destruição recepcionaram a equipe do Esquina durante visita ao set do filme Compro Likes, nova produção do brasiliense André Moraes (Entrando Numa Roubada). Poucos minutos depois, Fábio Lago (da novela O Outro Lado do Paraíso) volta da cena entusiasmado, ainda que sua mão apresente um pequeno corte sofrido no calor da interpretação. "Isso aqui tá parecendo o filme O Iluminado", diz Lago, se divertindo.

Ainda que o ator de Tropa de Elite tenha feito essa comparação com o filme de Stanley Kubrick, pouco -- ou quase nada -- existe de terror no longa-metragem de Moraes. Produção independente, Compro Likes acompanha a história de um ator fracassado (Lago) que ganha a sorte grande ao fazer sucesso com vídeos no YouTube. Tudo assessorado por um guru artístico (Lúcio Mauro Filho) e impulsionado pela compra de likes.

"É um filme moderno, com uma discussão muito pertinente", afirma Moraes ao Esquina. No set, há um claro entusiasmo do diretor brasiliense, que acabou de tirar do forno a comédia Não se Aceitam Devoluções, com Leandro Hassum. Segundo ele, porém, são duas coisas bem diferentes. "O filme com o Hassum é um remake encomendado pela Fox. Tinha quase nenhuma liberdade ali", comenta o cineasta. "Aqui, tenho sinal verde total."

Passeando pelo local, e conversando com outros atores que participam do longa, fica claro que o filme tem uma pegada mais parecida com que Moraes muito bem apresentou em Entrando Numa Roubada. É um tom leve, divertido, mas que não deixa de trazer alguns questionamentos. Parece essa ser a marca registrada do diretor, que também não pensa em comprar briga ou problematizar quem vive no mundo virtual (e artificial).

"A gente, aqui, não quer julgar ninguém. Todo mundo usa redes sociais, todo mundo gosta de ser visto", afirma Moraes. "O filme não está aqui para criticar ou apontar para problemas nesse sentido, nem fazer com que pessoas se sintam mal pelo que fazem nas redes sociais. Só queremos contar uma história, que poderia ser real, e que cause uma discussão interessante para quem assistir. Pelo menos, é isso que pretendemos."

Lago, que bateu um longo papo com o Esquina, se mostrou animado com a produção. Com a voz rouca de tanto gritar na cena que recepcionou a reportagem, o ator global disse que precisou de pouco preparação para entrar no personagem. "Não tenho nada a ver com isso de fama virtual. Não gosto disso", diz o ator. "No entanto, minha trajetória tem muito a ver com meu personagem. É a mesma essência, mas com objetivos diferentes".

Ampliação. Além do filme contar com grande elenco (fora os já citados, Thiago Fragoso, Zéu Britto e Tonico Pereira também atuam), Compro Likes possui uma grande e divertida lista de participações especiais. Marcelo Serrado (Polícia Federal), Leão Lobo (do programa Fofocalizando, do SBT) e Deborah Secco (Mulheres Alteradas) estão entre elas.

Moraes também revirou o fundo do baú para encontrar um ídolo oitentista que servisse de bússola para o personagem Lago. Primeiro apostou em Steven Seagal. Não deu certo, já que os assessores passaram a fazer uma série de exigências pouco cabíveis. Depois, o cineasta levou a proposta para Jean-Claude Van Damme. Ele, segundo Moraes, adorou a ideia, mas só poderia gravar a participação no final do ano. "Não dava pra depender dele. A gente ia gravar tudo em cima do cara. E se ele desistisse na última hora?"

A saída foi fazer uma lista imensa de possíveis candidatos a ídolo do protagonista, indo desde esportista, passando por cineastas e atores -- até Kevin Bacon entrou no meio. Mas quem acabou topando e comprando a ideia como poucos foi o músico Dee Snider, da banda de heavy metal Twisted Sister. "Estava tudo pronto para meu personagem ser fã de caratê, por conta do Seagal. Mas acabamos indo para essa pegada punk", comenta Lago. "O Dee Snider comprou a ideia. Me mandou um vinil autografado e tudo. Espero que ele venha para a estreia."

#Matéria #Reportagem #Entrevista #Cinema #Filme